Províncias

Luz eléctrica de Laúca vai chegar ao Lubango

Arão Martins | Lubango

A província da Huíla vai nos próximos tempos beneficiar da energia eléctrica de Laúca (Malanje), com a construção da linha de transporte que vai partir da província do Huambo.

Um ângulo da cidade do Lubango que será abastecida a partir da barragem de Laúca
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

O facto foi dado a conhecer sexta-feira na comuna de Cusse, município de Caconda (236 quilómetros a norte da cidade do Lubango), pelo governador da Huíla, João Marcelino Tyipinge, na presença do governador do Huambo, João Baptista Kussumua.
Segundo João Marcelino Tyipinge, o projecto surge na sequência do lançamento da primeira pedra, feito recentemente no Huambo, pelo ministro da Energia, João Baptista Borges, do projecto do sector eléctrico, que contempla a construção da linha de transporte de energia entre Laúca e o Huambo.
“A cidade do Lubango, de forma particular, e a província da Huíla, no geral, vai também beneficiar da energia eléctrica de Laúca, com a criação da linha de alta tensão que vai ligar aquela região, passando pelo Huambo”, garantiu o governador da Huíla.
João Marcelino Tyipinge afirmou que, com a paz, o Governo continua a construir e reconstruir o país, rumo ao seu desenvolvimento. Acrescentou que já foram construídas e reconstruídas estradas, portos, aeroportos, escolas, hospitais, centros de saúde e o Governo continua a empenhar-se no abastecimento de água potável às populações. A província da Huíla, acrescentou, além desses ganhos, vai ter também energia eléctrica de Laúca.
O Governo, ainda de acordo com o governador da Huíla, está também a construir barragens para fornecer água e energia eléctrica. “Futuramente, vamos ter energia de Laúca, que vai passar pelo Huambo, na comuna do Cusse, Caconda, Caluquembe, Cacula e chegar à cidade do Lubango. Não é amanhã, mas temos esse projecto e vai funcionar”, assegurou o governante.
De acordo com João Marcelino Tyipinge, o acto de consignação do projecto de electrificação, que vai ligar Laúca e Huambo, já aconteceu e vai criar-se uma linha de alta tensão superior a 400 quilómetros, que vai interligar Laúca (Malanje), a Waku Cungo (Cuanza Sul) até ao Planalto Central.
O governante reconheceu ser um projecto muito ambicioso, que se vai estender à cidade do Lubango, permitindo assim uma interligação entre Laúca, Huambo e Lubango.
“O Executivo angolano, por intermédio dos governantes, só garante o que é exequível. Nós só falamos do que fazemos”, disse o governador provincial, João Marcelino Tyipinge.
Afirmou que a Huíla, no quadro dos programas que visam expandir o sector eléctrico e aumentar a capacidade já beneficiou, nos últimos cinco anos, de duas centrais térmicas, criadas na zona da Canguinda e na Arimba, que fornecem mais de 40 megawatts.
A principal fonte de energia eléctrica que abastece os municípios da Matala, Chibia, Humpata e Lubango, bem como a província do Namibe, que é a barragem da Matala, beneficiou também de uma remodelação, o que melhorou substancialmente a qualidade de vida da população.
“Os projectos continuam e o objectivo é melhorar cada vez mais a qualidade de vida da população”, referiu João Marcelino Tyipinge, realçando que actualmente já é possível implementar vários programas sem dificuldades, porque o país foi completamente desminado.
Os projectos desenvolvidos, realçou, têm benefícios positivos, porque permitem a criação de emprego a jovens nacionais. Acrescentou que os projectos estão inseridos nos programas de desenvolvimento do sector eléctrico, aprovado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Tempo

Multimédia