Províncias

Mais água potável na sede da comuna

Arão Martins | Quihita

Um novo sistema de abastecimento de água potável está a ser erguido, desde Novembro, na sede comunal da Quihita, município da Chibia, província da Huíla, com fundos do Programa de Investimentos Públicos.

Sistemas de captação e distribuição de água potável implantados na província a permitir que a população deixe de recorrer aos rios e cacimbas
Fotografia: Arimateia Baptista|Quihita

Um novo sistema de abastecimento de água potável está a ser erguido, desde Novembro, na sede comunal da Quihita, município da Chibia, província da Huíla, com fundos do Programa de Investimentos Públicos.
O empreendimento está orçado em mais de 72 milhões de kwanzas e as obras devem terminar em Junho próximo, segundo garantias da Angolaca, a empresa de construção e civil e engenharia responsável pela empreitada.
O administrador da Quihita, Domingos Benedito, explicou que, nos últimos cinco anos, na localidade, foram construídas várias infra-estruturas sociais, nomeadamente escolas, unidades sanitárias, sistemas de distribuição de água e de energia, mangas para a vacinação do gado e tanques banheiros.
Domingos Benedito acrescentou que a comuna conta agora com mais três escolas, com um total de dez salas, o que permitiu a inserção, este ano, de mais de 420 alunos. Nas povoações de Migue, Missão e Capandi foram erguidas residências para professores.
Os bairros Nombuaneno e Missão ganharam postos de saúde e residências para enfermeiros, o que permitiu uma redução significativa de patologias que afectavam a população, sobretudo o paludismo e as diarreias agudas.”Na sede da comuna foi instalada uma nova rede de baixa tensão, construída uma manga de vacinação e reabilitado o açude e respectiva vala de irrigação de cinco quilómetros”, referiu Domingos Benedito. O abastecimento de água potável aos habitantes das localidades e Tchicuatiti e Lufinda, município da Chibia, foi reforçado com a inauguração de dois novos sistemas de captação, tratamento e distribuição, que vão beneficiar um total de cinco mil consumidores.Inaugurados pelo governador João Marcelino Tchipingue, os novos sistemas estão equipados com um sistema capaz de retirar água até uma profundidade de 40 metros e de bombear cinco mil metros cúbicos por hora.
Os sistemas de captação funcionam com painéis solares e estão acoplados a dois chafarizes.  Além da abertura de novos chafarizes, também foram construídas várias lavandarias.  O administrador da Lufinda, Honorato Almeida, disse que, actualmente, a comuna possui quatro fontenários. Um total de 19 residências já dispõe de ligações domiciliares, no âmbito do projecto “Água para Todos”. 

Tempo

Multimédia