Províncias

Mais equipamentos sociais na comuna de Calepi

Arão Martins | Caluquembe

Construído no quadro do programa integrado de combate à fome e à pobreza, está para breve a entrada em funcionamento do novo centro de saúde da comuna de Calepi, na província Huíla.

Na localidade estão a ser construídas escolas e desenvolvidos outros projectos
Fotografia: Arão Martins

Construído no quadro do programa integrado de combate à fome e à pobreza, está para breve a entrada em funcionamento do novo centro de saúde da comuna de Calepi, na província Huíla. Os trabalhos de construção da nova unidade sanitária duraram 120 dias e custaram aos cofres do Estado 9,17 mil milhões de kwanzas.
O novo centro de saúde de Calepi foi entregue na sexta-feira pelo governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, ao administrador municipal, Emílio Tchitacumbe, durante uma cerimónia presenciada por várias individualidades.O centro começa a funcionar no próximo mês de Agosto e vai atender mais de 17 mil habitantes da comuna.
Em Calepi, o governador fez ainda a entrega às autoridades administrativas da nova administração comunal. Construída de raiz, igualmente no quadro do programa de combate à fome e à pobreza, as obras custaram 17,32 mil milhões de kwanzas.
Isaac dos Anjos disse que, a nível da província, estão a ser construídas escolas, centros de saúde e desenvolvidas acções nos sectores do comércio e agricultura, no âmbito do programa do Executivo de combate à fome e à pobreza, e considerou que os trabalhos estão a decorrer a bom ritmo. Depois das sedes municipais, estão agora a ser desenvolvidas acções nas comunas da província, para melhorar as condições de vida das populações.
“Os camponeses vão receber instrumentos de trabalho, como charruas, catanas, machados e limas”, esclareceu o governador, acrescentando à lista de entregas os fertilizantes.
Issac do Anjos sugeriu ainda aos camponeses da comuna de Calepi que se organizem em cooperativas para beneficiarem dos apoios que vão permitir aumentar os níveis e diversificar a produção agrícola.
O administrador comunal de Calepi, António Bongue, afirmou que as novas infra-estruturas, além de conferirem uma nova imagem à sede comunal vão permitir, no caso do Centro de Saúde, melhorar a assistência médica e medicamentosa.
As novas instalações da administração comunal, considerou, vão permitir que os serviços administrativos sejam desenvolvidos com maior rapidez e prestar um serviço de qualidade às populações, dadas as condições de trabalho que oferecem.
“Aos poucos a comuna está a ser reconstruída”, disse o responsável, admitindo que com a construção de quatro novas escolas, com seis salas, foi possível inserir muitas mais crianças no sistema de ensino. Assim, no presente ano lectivo, foram matriculados 10.568 alunos, desde o ensino primário até ao secundário e do segundo ciclo. As aulas são asseguradas por 195 professores. No entanto, António Bongue esclareceu que, mesmo assim, ainda existem duas mil crianças que ficaram de fora do sistema do ensino, por falta de docentes e de salas.
O soba de Calepi, José Catchinene, enalteceu o esforço do Executivo pelo programa que está a fazer crescer a comuna, e acrescentou: “Temos um novo hospital e uma nova administração. Estamos muito satisfeitos porque o governo está a trabalhar para erguer todas as infra-estruturas que foram destruídas pela guerra.”

Tempo

Multimédia