Províncias

Mediateca facilita acesso ao saber

Arão Martins | Lubango

A consulta de informação de carácter técnico-científico especializado e de cultura geral na Mediateca do Lubango,  na Huíla, tem permitido aos estudantes de vários níveis de ensino acederem a material relacionado com as respectivas áreas de formação, disse ontem ao Jornal de Angola o responsável  do gabinete de comunicação e eventos da instituição.

Apesar dos serviços serem abertos ao público para se aceder à consulta de informação científica é necessário realizar uma inscrição
Fotografia: Arão Martins

A consulta de informação de carácter técnico-científico especializado e de cultura geral na Mediateca do Lubango,  na Huíla, tem permitido aos estudantes de vários níveis de ensino acederem a material relacionado com as respectivas áreas de formação, disse ontem ao Jornal de Angola o responsável  do gabinete de comunicação e eventos da instituição.
Domingos José informou que, em média, 200 a 250 pessoas, entre académicos, docentes, empresários e turistas visitam os serviços da Mediateca do Lubango.
Aberta ao público na segunda quinzena de Setembro, depois de ter sido inaugurada em Agosto, a Mediateca registou, nas primeiras duas semanas, 40 leitores.
 “No início, tinha pouca afluência, mas à medida que a população se foi apercebendo do seu funcionamento, a procura passou a ser superior”, referiu o responsável.
Apesar dos serviços serem abertos ao público, para se aceder à consulta de informação científica é necessário realizar uma inscrição como leitor, para a qual é preciso apresentar um atestado de residência, uma fotografia tipo passe e fotocópia do Bilhete de Identidade, além de mil kwanzas. Após o cumprimento destes requisitos, é-lhe entregue, no prazo de 24 horas, um cartão digital de utente, com o qual passa a aceder aos serviços existentes à sua disposição.
O cartão tem validade de um ano e serve para toda a rede de Mediatecas de Angola, ou seja, dá acesso ao usufruto dos serviços das demais mediatecas.
A Mediateca do Lubango é um projecto de inclusão social, que permite o acesso a fontes bibliográficas para a elaboração dos trabalhos científicos e de outras áreas.
“O atendimento e os serviços da Mediateca estão disponíveis para satisfazer as necessidades do utente e dar resposta aos desafios do milénio em relação à dinâmica das novas tecnologias”, explicou Domingos José.
A directora provincial da Cultura na Huíla, Marcelina Gomes, disse que a entrada em funcionamento da Mediateca do Lubango facilita o conhecimento e o desenvolvimento socioeconómico, contribuindo para a formação e aperfeiçoamento do capital humano, ao mesmo tempo que alarga o acesso à cultura e à utilização de novas tecnologias de informação.
“Temos uma Mediateca onde podemos usufruir de uma vasta bibliografia e também de tudo aquilo que o mundo nos pode informar em relação ao conhecimento, com a utilização da internet, que pode informar toda a gente”, disse.
A Mediateca da província da Huíla  está instalada num edifício com 2.300 metros quadrados de área útil, construído em 13 meses, e dispõe de 400 pontos de rede e 14 monitores em TV cooperativa. A instituição localiza-se nas imediações da Universidade Mandume Ya Ndemufayo e dispõe de um auditório com 122 lugares.
Denominado “Shoping de conhecimento”, tem uma zona multimédia, espaço audiovisual, pátio infantil, zona juvenil, área técnica com depósito de material, e acervo.
Possui ainda 12 cadeiras para o pessoal com mobilidade reduzida, cafetaria com assento para 245 pessoas, 160 lugares em espaços de leitura, 86 computadores de mesa e portáteis, 350 mil jornais electrónicos, teses de mestrado, teses de doutoramento, trabalhos de investigação.

Tempo

Multimédia