Províncias

Medicamentos impróprios são destruídos no Lubango

Arão Martins | Lubango

As Direcções Provinciais de Inspecção da Saúde e da Polícia Económica destruíram no Lubango, província da Huíla, grandes quantidades de medicamentos expirados, que estavam a ser comercializados no mercado paralelo João de Almeida.

Momento em que o material apreendido era queimado pela Polícia Económica na província da Huíla
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

Entres os medicamentos expirados, constam analgésicos, anti-inflamatórios, antibióticos, antipalúdicos e preservativos. O superintendente Jones Fernando informou que foram apreendidos e destruídos 205 volumes de medicamentos diversos e 45 volumes de material gastável, avaliados em sete toneladas.
O material foi abandonado pelos proprietários no mercado informal João de Almeida que, depois de inspeccionado pelo laboratório regional da Huíla, situado na comuna da Palanca, concluiu-se que o produto é impróprio para consumo. A incineração foi autorizada pelo Ministério Público.

Tempo

Multimédia