Províncias

Médicos estão a ser melhor alojados na Huíla

Arão Martins | Lubango

A acomodação de 40 médicos de diversas especialidades que labutam em várias unidades hospitalares públicas da cidade do Lubango, província da Huíla, vai ser melhorada nos próximos tempos, com a reabilitação e ampliação de 15 moradias, de 2, 3 e 4 quatros, no condomínio da Mitcha, arredores da cidade do Lubango.

As obras de reabilitação e ampliação das casas para os médicos estão quase no fim e está garantido o fornecimento de energia e água
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

Quem o diz é o governador da Huíla, João Marcelino Tyipinge, que, acompanhado do vice-governador para o sector Técnico e Infra-estruturas, Nuno Mahapi Ndala, bem como do director provincial da Saúde, Altino Matias, avaliou, sexta-feira, as obras de reabilitação das casas que vão albergar os médicos cubanos que trabalham na província, no quadro da cooperação existente entre Angola e Cuba.
O director provincial da Saúde na Huíla, Altino Matias, informou que, no quadro da cooperação entre os dois países no sector da Saúde, a Huíla conta com 113 médicos cubanos, dos quais 75 trabalham na sede da província. Altino Matias disse que a par da prestação e serviços à população, muitos médicos estão a colaborar na formação de futuros médicos angolanos, que estão a ser formados pela Faculdade de Medicina, afecta à Universidade Mandume Ya Ndemufayo.
Altino Matos indicou que o condomínio da Mitcha alberga 46 médicos que vão ver melhoradas, ainda mais, a sua acomodação, com a reabilitação e ampliação de 15 casas. Avançou que além da reabilitação e ampliação das casas, estão a ser criadas novas áreas no pátio de cada casa, como jardins e a instalação de vários equipamentos electrónicos e mobiliário nas residências. Apontou a instalação nas residências que albergam os médicos de equipamentos de ar condicionado, Internet e comunicações como novos ganhos.
Altino Matias informou que no quadro do Programa de Investimentos Públicos (PIP), o governo provincial da Huíla entregou já um prédio de quatro andares que alberga 30 médicos na centralidade da Eywa, bem como docentes da Faculdade de Medicina da Unidade Mandume Ya Ndemufayo.
O director da Saúde na Huíla indicou que, apesar dos ganhos registados na província no tocante à disponibilidade de médicos por especialidade, a província ainda necessita de 220 novos médicos.
A lacuna, disse Altino Matias, começa a ser minimizada quando dentro de aproximadamente dois anos forem lançados os primeiros médicos que estão a ser formados pela Faculdade de Medicina da Universidade Mandume Ya Ndemufayo.

Avaliação de obras

O responsável disse que o Governo da Huíla, no quadro do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Fome e à Pobreza, bem como de Investimentos Públicos construiu hospitais e centros municipais de saúde nos municípios, que exigem também a presença de médicos. O governador da província da Huíla, João Marcelino Tyipinge, visitou também as obras de modernização da rede de abastecimento de água potável à cidade do Lubango e arredores, no quadro do financiamento da Alemanha.
Visitou ainda as obras de reabilitação da estrada que liga o centro da cidade ao bairro da Canguinda e Chioco, passando pelo Ferro. O governante disse que a acomodação de forma aceitável dos médicos que garantem a assistência médica e medicamentosa das populações é prioridade do Executivo e do Governo local. Assegurou que as obras de reabilitação e ampliação das casas estão praticamente no fim e vai ser garantido o fornecimento adequado de água potável e energia eléctrica.
João Marcelino Tyipinge exortou o empreiteiro a cumprir com os prazos constantes no contrato, para que a acomodação dos médicos em perfeitas condições seja um facto. O sector da saúde na província da Huíla é caracterizado pela existência de cinco grandes unidades de referência, como o Hospital Central do Lubango, Maternidade Camarada Irene, Hospital Psiquiátrico, Sanatório, bem como centros municipais de saúde e postos médicos. Tendo em conta a divisão sanitária da província, foram designados os municípios da Matala, Caluquembe, Jamba, Gambos, Cuvango entre outros, como sedes regionais, que têm serviços diferenciados nas áreas de pediatria, medicina, ginecologia e obstetrícia, cirurgia geral, ortopedia, imagiologia.

Tempo

Multimédia