Províncias

Médicos tiram especialidade hospitalar

André Amaro | Lubango

Um grupo de 19 médicos de diferentes especialidades das províncias da Huíla e Cunene frequentam o curso de pós-graduação, no hospital Central do Lubango, António Agostinha Neto, com vista a melhorar a qualidade dos serviços prestados nas unidades sanitárias.

Formação iniciada no ano passado está a ser orientada por professores cubanos
Fotografia: André Amaro | Lubango

A formação académica, que está a ser orientada por professores cubanos, abrange as especialidades de Ginecologia, Obstetrícia, Pediatria, Medicina Interna Hospitalar e Clínica Geral.
O coordenador do curso do Hospital Central do Lubango, Zola Diakussekele, adiantou que as aulas tiveram início em Novembro do ano passado e contam com a parceria do Ministério da Saúde.
A formação, com a duração de três e cinco anos, além das disciplinas teóricas inclui trabalho prático desenvolvido em ambiente hospitalar, em especial no auxílio aos serviços de urgência e assistência às enfermarias, além de participarem nas reuniões matinais e em todos os actos científicos do hospital.
O coordenador do curso disse que está em perspectiva a abertura, em breve, da especialidade de Dermatologia, que vai contemplar, igualmente, médicos das províncias do Kuando-Kubango e do Cunene.
 Além do curso de pós-graduação, o Hospital Central do Lubango está a facilitar estágios para centenas de estudantes de medicina, do ensino médio e universitário. O director clínico do Hospital Central, Zola Diakussekele, esclareceu que os estudantes do terceiro ao quinto ano da Faculdade de Medicina do Lubango e da Escola Superior de Enfermagem do Cunene, da Universidade Mandume, estão a efectuar estágios curriculares no hospital. Cerca de 30 médicos estagiários da Faculdade de Medicina da Universidade Jean Piaget de Luanda estão, igualmente, em estágios no Hospital Central do Lubango.
 Zola Diakusekele sublinhou que a unidade também está a dar estágio a estudantes da Escola Técnica Profissional de Saúde do Lubango e da Escola Básica de Saúde da Igreja Evangélica Sinodal de Angola (IESA).

Tempo

Multimédia