Províncias

Melhora assistência médica no Chipindo

Arão Martins | Lubango

O administrador de Chipindo (província da Huila), Daniel Salupassa, disse ao Jornal de Angola que a assistência sanitária às populações que vivem nas comunas do município melhorou, com a aplicação do Programa de Combate à Pobreza.

Objectivo da expansão dos serviços de saúde é baixar os índices de mortalidade
Fotografia: Arão Martins

Daniel Salupassa referiu que foram construídos postos e centros de saúde nas comunas de Bambi, Bunjei e nas localidades de Mboloteke, Ndovala, Capembe. Com o subprograma de Cuidados Primários de Saúde, os hospitais recebem regularmente medicamentos essenciais.   
Todas as sedes comunais do município têm postos médicos (Bambi, Bunjei e na comuna sede do município). Os postos e centros de saúde das localidades de Chiyoya e da Missão Evangélica do Bunjei também contribuem para uma assistência sanitária aceitável à população. “O programa de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza tem estado a jogar um papel preponderante para que o município marque passos largos para o seu desenvolvimento”, disse.
O número de escolas aumentou e existe um programa a ser cumprido este ano e até Dezembro os resultados são positivos.  Mais crianças têm oportunidade de estudar, a partir do próximo ano lectivo, quando entrar em funcionamento a nova escola de 24 salas. A Administração preocupa-se em diminuir as distâncias entre a população e as diversas instituições.

Fomento habitacional

Actualmente, nas comunas mais distantes da sede do município (Bambi e Bunjei), a situação é completamente diferente. “O que estamos a fazer é diminuir a procura dos serviços de saúde. Em qualquer localidade que dista mais de 35 quilómetros foi construído um posto, para que os doentes não percorram longas distâncias.” As primeiras 20 casas construídas na sede municipal do Chipindo estão concluídas, no quadro do programa dos 200 fogos habitacionais em todos os municípios.
Daniel Salupassa garantiu que a efectivação do programa vai minimizar as dificuldades que as autoridades vivem na colocação de novos quadros. Outras moradias são construídas para beneficiar quadros da Educação, Agricultura, Energia e Águas e da Administração. O mesmo programa permitiu a construção de duas casas na comuna de Bambi e Bunjei. O administrador municipal lamentou o défice de fornecimento de energia eléctrica que a sede do município ainda regista. “Este é um dos grandes problemas que ainda temos, porque a sede do município está iluminada apenas a 50 por cento.”
Uma proposta foi apresentada às autoridades competentes para que a energia para o município de Chipindo seja fornecida pela Barragem do Gove, província do Huambo, devido à proximidade. Estudos de viabilidade estão em curso.

Mulheres rurais


As mulheres rurais do município de Chipindo estão preocupadas com o mau estado da estrada que liga Chipindo aos municípios de Caconda e Cuvango, o que dificulta o escoamento de produtos do campo. As obras de reabilitação no troço Caconda-Chipindo decorrem com normalidade. A reposição da ponte sobre o rio Cunene é uma tarefa que deve ser feita, a par dos restantes 35 quilómetros em falta para atingir a sede municipal de Chipindo.
Mais de 100 charruas foram distribuídas aos camponeses de Chipindo pela Administração Municipal, no início da campanha agrícola ainda em curso. As autoridades apoiam a cooperativa de camponeses da comuna de Bambi, de forma a aumentar os índices de produção de hortícolas, cereais e a criação de gado bovino e aves.
O projecto é ambicioso e já mostra resultados positivos. Os agricultores que receberam crédito de campanha entre 2010 a 2013 estão a efectuar o reembolso. Existem outras oportunidades para que mais camponeses beneficiem do apoio, mas para tal é preciso liquidar a dívida anterior.

Água potável


Os habitantes das comunas do município de Chipindo beneficiam de água potável. Bambi, Bunjei e sede municipal são as localidades mais beneficiadas. O projecto ainda não abrange toda a população.  Em diversas áreas do município trabalha-se na abertura de mais quatro furos.
Mais de 150 casas são erguidas nos próximos tempos na sede municipal de Chipindo, no quadro do programa de fomento habitacional.
“Temos já 20 casas, das 200 previstas. A nova centralidade da sede municipal vai comportar 150 casas e as outras 50 são erguidas nas localidades de Bambi, Bunjei e Camuanha, para acomodar os quadros e a juventude”, concluiu Daniel Salupassa.

Tempo

Multimédia