Províncias

Melhoradas as condições sociais na região

André Amaro | Chipindo

As populações de Buloteque e Dovala, município do Chipindo, têm, pela primeira vez, acesso a cuidados primários de saúde, após a inaugurarão de dois postos médicos equipados para a realização de partos, consultas pré-natais e vacinação.

Vice-governador da Huíla na inauguração de um dos postos de saúde construídos no quadro do Programa de Desenvolvimento Rural
Fotografia: André Amaro | Chipindo

As populações de Buloteque e Dovala, município do Chipindo, têm, pela primeira vez, acesso a cuidados primários de saúde, após a inaugurarão de dois postos médicos equipados para a realização de partos, consultas pré-natais e vacinação.
Os dois postos, também com farmácia, orçados cada um em 15 milhões de kwanzas, que permitem que não seja preciso percorrer longas distâncias, como até agora, para se ter acesso a assistência médica e medicamentosa, foram construídas no quadro do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate a Pobreza (PMIDRCP).
O vice-governador para área técnica e infra-estruturas da Huíla, que presidiu à cerimónia da inauguração dos postos, salientou a importância de estar “garantida a assistência médica e medicamentosa de qualidade”, que “minimiza o sofrimento das comunidades”.
 Nuno Dala garantiu que vão continuar a ser construídas infra-estruturas sociais, mas que é necessário que os beneficiários colaborem na conservação dos equipamentos.
Francisco Guilherme, em nome da comunidade, agradeceu a iniciativa do Governo Provincial e prometeu a conservação das infra-estruturas para poderem servir as futuras gerações.
Com estas unidades sanitárias, declarou, as populações deixam de percorrer cerca de 30 quilómetros para ter assistência médica e medicamentosa.
O soba da localidade do Dovala também disse que “os postos médicos vão diminuir o sofrimento da população que tinha de percorrer 30 quilómetros até a sede do Chipindo para ter assistência médica e medicamentosa”. “Temos certeza que há uma grande preocupação do Governo da província em fazer o melhor em prol da população. Nunca imaginámos que um dia tivéssemos posto médico, escolas e outros empreendimentos que estão a mudar a imagem da localidade”, afirmou Joaquim da Cruz

Ensino melhor

As condições de mais de mil alunos do ensino primário do Capembe e da sede do município de Chipindo também melhoraram com a inauguração de duas novas escolas.
Um dos estabelecimentos, com seis salas, construído de raiz, fica na localidade do Capembe, e o outro, com dez, foi erguido na vila. O custo das duas é superior a 30 milhões de kwanas.
Nuno Dala referiu que os dois estabelecimentos são fundamentais para o ensino geral e para alfabetização, pois além de servirem as crianças podem ser utilizadas para a aprendizagem de adultos.
O administrador municipal de Chipindo também afirmou que as novas escolas melhoram as condições de ensino e de aprendizagem, pois “os alunos estudavam em condições menos condignas”.
Daniel Salupassa lembrou que no Capembe nunca houve uma escola de construção definitiva, o que levou as autoridades locais a erguerem de raiz um estabelecimento de ensino.
Na mensagem dos alunos da Capembe, lida por Benjamim Bernardino, são sublinhados “os esforços do Governo da Huíla na construção da escola que vai contribuir para melhorar as condições de ensino e de aprendizagem dos 963 alunos matriculados”.
“Com a nova escola, deixamos de estudar em capelas, debaixo das árvores, em casas de adobe e de escrever sobre os joelhos”, refere o texto, que acrescenta:
“Aproveitamos a ocasião para solicitar às autoridades da Província a construção de um campo polivalente para a prática de actividades desportivas”.

Tempo

Multimédia