Províncias

Milhares de cabeças de gado bovino são imunizadas a partir de Fevereiro

André Amaro | Lubango

Um milhão de cabeças de gado bovino de criadores tradicionais e fazendeiros da província da Huíla começam, no próximo mês de Fevereiro, a ser imunizadas contra peripneumonia contagiosa, carbúnculo hemático e sintomático e dermatite nodular.

Director local dos Serviços de Veterinária
Fotografia: André Amaro

Um milhão de cabeças de gado bovino de criadores tradicionais e fazendeiros da província da Huíla começam, no próximo mês de Fevereiro, a ser imunizadas contra peripneumonia contagiosa, carbúnculo hemático e sintomático e dermatite nodular.
A vacinação vai ser realizada pelo Instituto dos Serviços Veterinários da Huíla, no quadro das acções programadas para este ano, visando aproveitar a época chuvosa em que os animais têm mais água e pasto.
O director provincial do Instituto dos Serviços Veterinários, Miguel Barbosa, disse ontem que as condições, em termos de doses de vacinação, sistemas de conservação das vacinas e meios técnicos, estão criadas para o êxito da campanha.
Neste momento, de acordo com Miguel Barbosa, estão preparadas mais de um milhão de vacinas, viaturas apropriadas para alcançar as áreas de difícil acesso, brigadas de vacinação em todos os municípios, assim como foram formados agentes comunitários.
Este ano, esclareceu o responsável, a campanha de vacinação vai acontecer mais cedo, em função dos criadores tradicionais aceitarem levar o gado às mangas de vacinação, por, nesta época chuvosa, terem mais facilidades de pasto.
Miguel Barbosa salientou que, no ano passado, a campanha começou no mês de Abril e muitos criadores tradicionais deixaram os animais sem vacinação, por alegarem que a falta de água e pasto poderiam causar a morte dos animais.Fruto da situação acima referida, a campanha prevista para imunizar 800 mil cabeças de gado bovino abrangeu apenas 480 mil animais, numa altura em que se registaram mortes nalguns municípios.
Miguel Barbosa esclareceu que os municípios dos Gambos, Quipungo e Quilengues, onde a situação de estiagem do ano passado causou várias mortes do gado, vão receber uma atenção especial nesta campanha.
De acordo com o director, vai ser colocado nas zonas pecuárias dos municípios do Lubango, Matala e Quilengues, pelo menos um médico veterinário permanente, com vista a controlar a situação da sanidade animal.
 
Controlo da raiva

No mesmo mês, o Instituto dos Serviços Veterinários na Huíla vai levar a cabo uma campanha massiva de vacinação de canídeos a nível da cidade do Lubango, com o objectivo de prevenir mortes contra a raiva. O director Miguel Barbosa manifestou-se preocupado com o aumento de cães vadios pelas ruas da cidade do Lubango e com o aumento de mordeduras de pessoas.
A par da campanha de vacinação, o responsável avançou que as autoridades veterinárias vão desenvolver acções de recolha e abate de cães de e na rua.
Miguel Barbosa adiantou que já existe uma viatura apropriada para a recolha de cães na rua e uma equipa de técnicos treinados, assim como foi construído um espaço para dar um tratamento devido aos animais vadios.

Tempo

Multimédia