Províncias

Milhares de munícipes são vacinados no Lubango

Arão Martins | Lubango ,Casimiro José| Sumbe

A campanha  de vacinação contra a febre-amarela, aberta sábado, na cidade do Lubango, prevê abranger   746.878 pessoas, informou ontem a chefe do Departamento de Saúde Pública e Controlo de Endemias.

A campanha de vacinação conta com a participação de efectivos das Forças Armadas e da Polícia
Fotografia: Joana Santos |Lubango

 Fátima Barros disse que a campanha, que decorre até ao próximo dia 22, abrange toda a província da Huíla e o objectivo é vacinar 95 por cento da população,   estimada em mais de dois milhões de habitantes.
Para o Lubango, disse Fátima Barros, foram disponibilizadas   820 mil doses de vacina,   distribuídas a 51 unidades hospitalares. Fátima Barros disse que o Lubango dispõe de cinco hospitais, o Hospital Central do Lubango,
Maternidade Irene Neto, Hospital Pediátrico Pioneiro Zeca e Psiquiatria do Lubango.
“Em todas as unidades sanitárias estão disponíveis postos de vacinação”, informou, para acrescentar que estão a funcionar igualmente postos de auto-rendimento nos quatros estádios de futebol, Estádio Nacional Tundavala, Nossa Senhora do Monte, Ferroviário da Huíla e do Benfica do Lubango, e no Pavilhão Multiusos de Nossa Senhora do Monte.
Aos fins-de-semana, informou Fátima Barros, funcionam ainda postos de vacinação   nas escolas do ensino primário e secundário do I e II Ciclos. Existem ainda equipas nos mercados. Para o sucesso da campanha, disse, participam, além dos técnicos de saúde, dois mil elementos das escolas de técnicos de saúde estatal e privada, Forças Armadas, Polícia Nacional, estudantes da Faculdade de Medicina e voluntários para o registo.
Fátima Barros disse que há mais de dois meses que as autoridades sanitárias não registam casos de febre-amarela, observando-se apenas alguns casos suspeitos nos municípios da Jamba e Chicomba, onde foi feita a colheita de sangue, enviada ao laboratório nacional  para  averiguação.
“De uma forma geral, estamos na fase de estabilidade. Tivemos o pico   em Fevereiro e princípios de Março deste ano, com uma média de registo entre 20 a 22 casos suspeitos por semana e agora estamos com uma média de um a dois casos por semana”, esclareceu.
Fátima Barros disse que as autoridades sanitárias registaram, desde Janeiro, 30 óbitos por causa da febre-amarela e 135 casos suspeitos. Os municípios mais afectados foram Caconda, com 39 casos, Quipungo (32), Chicomba (16), Lubango (15), Caluquembe (11), Humpata (dez), Quilengues (dez) e Gambos (nove).
Fátima Barros reconheceu que se registam enchentes nos postos de vacinação, por causa da ansiedade da população, que prefere ser vacinada logo no primeiro dia. No primeiro dia da campanha de vacinação, sábado, foi registada uma enorme enchente nos postos de vacinação criados na cidade do Lubango. A chefe do departamento de saúde público garantiu que há vacinas suficientes.
O administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, apelou à população para aderir em massa aos postos de vacinação, pois vacinar é a melhor forma de prevenir contra a febre-amarela.
Foram mobilizadas 127 equipas, 1.640 pessoas, das quais 640 voluntários, bem como 45 viaturas, para dinamizar o processo. “Temos a colaboração dos municípios vizinhos, como a Humpata, Chibia, Gambos, Chibia, Quilengues e Matala. Foram mobilizadas as autoridades tradicionais, igrejas, Forças Armadas Angolanas, partidos políticos com assento parlamentar, organizações juvenis, Organização Mundial da Saúde (OMS) e Unicef e esperamos que a campanha consiga responder às expectativas da população”, concluiu Francisco Barros.

Imunização no Sumbe

Mais de 270.870 pessoas vão ser vacinadas contra a febre-amarela, no município do Sumbe, província do Cuanza Sul, durante a campanha de vacinação aberta ontem.
Para o efeito, o Departamento Provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias anunciou a existência de 350.131 doses de vacina e a constituição de 75 equipas fixas de vacinação, na sede capital da província do Cuanza Sul.
O chefe de secretaria da Administração Municipal do Sumbe, Agostinho António Lemos, disse, durante o acto de lançamento da campanha de vacinação, que, para o êxito da mesma, foram implantados postos fixos nas zonas um, dois, três e quatro, bem como na localidade das Salinas e que algumas equipas móveis se vão deslocar às creches e  lares de idosos.
Agostinho Lemos apelou a todas as forças vivas do município sede para se envolverem na sensibilização dos cidadãos, aderirem à campanha e, ao mesmo tempo, levarem a cabo acções de limpeza, eliminação das águas estagnadas e remoção de objectos que podem permitir a reprodução de mosquitos.
A chefe de departamento provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias, Maria Lussinga, adiantou que, depois do Sumbe, a campanha vai atingir os municípios de Porto Amboim, Conda e Seles, bem como outras localidades da província, mediante a disponibilização das doses de vacina pelo Ministério da Saúde.

Tempo

Multimédia