Províncias

Milhares de toneladas chegam ao mercado

Domingos Mucuta | Humpata

A época agrícola na fazenda “Nossa Terra”, na Humpata, deu uma colheita de 6.000 toneladas de laranjas e uma tonelada de tangerinas. O gestor da fazenda, propriedade da Caixa Social das Forças Armadas Angolana (FAA), Evaristo Macedo, anunciou, durante a visita da ministra portuguesa da Agricultura, Assunção Cristas, que a fase da colheita de laranjas e tangerinas começou esta semana.
Apesar da estiagem registada na província, a produção é satisfatória, garantiu o responsável do projecto agro-industrial, que inclui duas fazendas nos arredores da Humpata.

Começou a fase da colheita da laranja
Fotografia: Arimatéia |Lubango

A época agrícola na fazenda “Nossa Terra”, na Humpata, deu uma colheita de 6.000 toneladas de laranjas e uma tonelada de tangerinas. O gestor da fazenda, propriedade da Caixa Social das Forças Armadas Angolana (FAA), Evaristo Macedo, anunciou, durante a visita da ministra portuguesa da Agricultura, Assunção Cristas, que a fase da colheita de laranjas e tangerinas começou esta semana.
Apesar da estiagem registada na província, a produção é satisfatória, garantiu o responsável do projecto agro-industrial, que inclui duas fazendas nos arredores da Humpata.
A primeira fazenda tem 320 hectares, com 250.000 pés de laranjeiras, enquanto a segunda tem 140 hectares e 112.000 árvores de frutas, dos quais 60.000 pés de tangerineiras. Evaristo Macedo informou que a exploração da fazenda de Changalala conta com a parceria de um fazendeiro e empresário sul-africano. “Estamos a fazer um grande esforço para manter as previsões de colheita, após dois meses de estiagem”. O gestor disse que, nesta altura, foi possível recuperar a represa e bombear água e regar as plantas. Dai a previsão de que as condições permitam a realização de boas colheitas.
A qualidade das frutas produzidas na fazenda “Nossa Terra” tem aceitação no mercado nacional, o que permite fornecer às unidades das Forças Armadas Angolanas, e serve como matéria-prima para a fabricação de sumos.
Explicou que a fruta produzida tem muita qualidade comparada com a importada.
A terceira componente do projecto “Nossa Terra” é o complexo industrial da Humpata, com 12 linhas de produção, montadas, com objectivo de absorver as colheitas de todas as fazendas na fabricação de sumos, goiabada, fruta em caldas e vinagre.
Evaristo Macedo desafiou os fazendeiros da região a abastecerem o complexo industrial. A fábrica está preparada para receber a produção de outros produtores locais, não havendo razão para a deterioração de frutas na Huíla e, sobretudo, na Humpata, uma vez que o projecto foi concebido a pensar nos fazendeiros da região.

Tempo

Multimédia