Províncias

Mortes por malária estão a diminuir

André Amaro | Lubango

O coordenador adjunto do Programa Nacional de Luta Contra a Malária, Miltom Saraiva, afirmou na quinta-feira, na cidade do Lubango, que a redução de óbitos por malária, em 2010, em todo o país, é um indicador positivo do controlo da doença.

Distribuição de mosquiteiros
Fotografia: Jornal de Angola

O coordenador adjunto do Programa Nacional de Luta Contra a Malária, Miltom Saraiva, afirmou na quinta-feira, na cidade do Lubango, que a redução de óbitos por malária, em 2010, em todo o país, é um indicador positivo do controlo da doença.
Falando no seminário sobre “Diagnóstico e tratamento da malária simples, grave e complicada”, dirigido a médicos e responsáveis de enfermagem das unidades sanitárias da província da Huíla, Milton Saraiva referiu que reduziu o número de óbitos de 10 mil para oito, o que representa um indicativo positivo em termo de controlo da doença.
O responsável garantiu que as acções de pulverização inter-domiciliar, diagnóstico rápido, distribuição de mosquiteiros e tratamento correcto vão ser intensificadas, para que os casos de mortes por malária diminuam ainda mais.
As províncias de Luanda, Huambo, Huíla, Bié, Benguela, Kwanza-Sul e Cabinda registam 72 por cento dos casos a nível de todo país, razão pela qual lhes será dada prioridade nas acções preventivas.
O número de óbitos causados pela malária na província da Huíla registou uma redução no primeiro trimestre do ano em curso, fruto da intensificação de acções combinadas de luta contra a doença.

Redução de mortes na Huíla

De acordo com o supervisor do Programa de Luta Contra a Malária na Huíla, Martino Somaginga, durante o primeiro semestre de 2011 foram registados 81.913 casos, dos quais 152 resultaram em morte.
Martinho Somaginga explicou que entre os meses de Janeiro e Março do ano passado foram registados em toda a rede sanitária da província 85.438 casos e malária, dos quais 166 terminaram em óbitos.
Informou que no quadro do combate à malária foram distribuídos, no mês de Fevereiro, 73.950 testes rápidos nos 14 municípios da província, no sentido de confirmar os casos e ministrar uma medicação adequada. Ainda nesta perspectiva, referiu, foram distribuídos 41.683 mosquiteiros com insecticidas para mulheres grávidas e crianças com menos de cinco anos, assim como posto à disposição das unidades sanitárias 237.410 tratamentos com Coartem.
Martinho Somaginga disse que o Programa de Luta Contra a Malária na província tem disponíveis 20 mil testes rápidos de Bioline, para identificar os tipos de vírus do paludismo.

Tempo

Multimédia