Províncias

Movimento Espontâneo conta com nova direcção

O novo secretário provincial do Movimento Nacional Espontâneo na Huíla, Júlio Kaingona, foi empossado sábado, no Lubango, pelo presidente nacional da organização, Justino Fernandes.

Justino Fernandes presidente do grémio
Fotografia: Paulo Mulaza

Júlio Kaingona tem um mandato de cinco anos e substitui no cargo Luís Garrido, que em três anos conduziu os destinos da organização.Integram ainda o novo secretariado António Augusto Abrantes, como secretário para a organização e mobilização, Rosa Chico, como secretária para o apoio social às comunidades, Eduardo Samuel, secretário para o Girabairro, e Airton Quénia, secretário para a comunicação social e marketing.
O novo dirigente provincial do Movimento Nacional Espontâneo agradeceu ao secretariado nacional por confiar-lhe a função e acrescentou que o seu elenco está motivado para concretizar os objectivos traçados.
“A nossa prioridade será a criação de representações a nível dos 14 municípios e continuar, junto do Executivo e de outras entidades, a criar espaços de dialogo com os vários actores sociais, mormente os idosos, jovens e populações carenciadas, para participar no processo de desenvolvimento do nosso país”, referiu.
O presidente Justino Fernandes considerou, por sua vez, ser uma grande responsabilidade para a nova direcção dar continuidade ao trabalho desenvolvido pela organização nos últimos anos. “Não é fácil secretariar o Movimento Nacional Espontâneo na Huíla, mas tenho a certeza que, com muito trabalho, muita dedicação e com a nossa ajuda tudo vai ser conseguido. É uma grande responsabilidade. A organização cresceu, tem muito projectos e programas de trabalho que, com certeza, vão ser entregues até 2017”, sustentou.
Por sua vez, o vice-governador provincial para os serviços técnicos e infra-estruturais,  Nuno Mahapi, felicitou os empossados e mostrou a disponibilidade do governo em ajudar o Movimento Nacional Espontâneo, por ser um parceiro directo do governo.
“O grupo é jovem e acho que teremos uma grande equipa que fará com que as preocupações levantadas sejam resolvidas, pois a organização joga um papel preponderante na acção social da população”, assinalou. Testemunharam o acto membros do governo, da JMPLA e do Movimento Nacional Espontâneo.

Tempo

Multimédia