Províncias

Mulheres deficientes defendem maior inclusão

Benigno Narciso|Lubango

A coordenadora da Rede da Mulher com Deficiência (RMD), na Huíla, Maria do Céu, defendeu segunda-feira, no Lubango, a realização, nas comunidades, de programas de sensibilização contra a discriminação da mulher portadora de deficiência física.

A coordenadora da Rede da Mulher com Deficiência (RMD), na Huíla, Maria do Céu, defendeu segunda-feira, no Lubango, a realização, nas comunidades, de programas de sensibilização contra a discriminação da mulher portadora de deficiência física.
Maria do Céu, que falava numa conferência sobre “Integração dos direitos da mulher deficiente na luta pela valorização da mulher angolana”, reconheceu que as palestras de sensibilização e o recurso à media constituem uma das várias formas de prevenção deste fenómeno. Considerou ser necessário e urgente esclarecer a sociedade sobre os mecanismos de penalização daqueles que discriminam os deficientes e apelou a uma maior aposta das instituições do país e igrejas na educação dos seus membros, com vista a cultivarem o espírito de convivência mútua, sem discriminação.
A inserção do deficiente físico na vida produtiva é uma das formas de torná-las economicamente independentes.

Tempo

Multimédia