Províncias

Município da Chibia quer jovens a frequentar cursos de serralharia

João Katombela | Chibia

A fraca aderência dos jovens aos cursos de serralharia e electricidade no centro de formação profissional do município da Chibia, 45 quilómetros a sul da cidade do Lubango,  motivou segunda-feira  a direcção da instituição a apelar àqueles sem alguma profissão e ocupação a aproveitar as oportunidades disponíveis na escola.

A direcção do centro está a preparar as condições para o curso básico de agronomia
Fotografia: João Katombela

 
 A fraca aderência dos jovens aos cursos de serralharia e electricidade no centro de formação profissional do município da Chibia, 45 quilómetros a sul da cidade do Lubango,  motivou segunda-feira  a direcção da instituição a apelar àqueles sem alguma profissão e ocupação a aproveitar as oportunidades disponíveis na escola.
O director do centro profissional da Chibia, Victor Gabriel, disse que estão criadas as condições para a formação com qualidade de jovens residentes no município e de outros pontos. “Todos aqueles sem ofício devem dirigir-se já ao centro para aprender a serralharia e electricidade em pouco tempo.”
 O centro de formação profissional da Chibia formou 120 jovens, desde 2009.  O centro foi concebido no âmbito da cooperação entre Angola e Itália, com o objectivo de formar 120 jovens por trimestre nos dois cursos. O responsável reconhece haver exiguidade de cursos ministrados no centro, o que contribui para a fraca aderência dos jovens. “Os cursos ministrados neste centro de formação profissional da Chibia podem não corresponder às expectativas dos jovens porque eles têm outras ambições, querem coisas de imediato, acabando às vezes por atingir maior idade sem saberem fazer nada de útil”, disse.
No município existe apenas um único Centro de Formação profissional, o que faz com que apenas jovens do sexo masculino adiram aos cursos. Victor Gabriel informou que o objectivo da sua direcção é dotar todos os jovens de uma formação profissional básica que lhes garanta o auto-sustento. Por isso, apelou à camada juvenil a aderir aos cursos.
 Aquele responsável defende, para se inverter o quadro, a instalação no seu município de mais Centros de Formação Profissional, para satisfazer o maior número de beneficiários, com cursos profissionais como mecanização, informática, culinária e decoração.
 “Para se inverter esta realidade, a toda  necessário que se instale no nosso município mais Centros de Formação profissional, com vista a atingir o maior número possível de formandos e onde possam ser ministrados cursos que satisfaçam as necessidades dos jovens”, afirmou.
 Victor Gabriel disse ser também urgente a criação de um curso básico de agronomia, a julgar pelas potencialidades agrícolas que o seu município dispõe, de forma a dotar os jovens de ferramentas que lhes possibilitem o trabalho correcto da terra.
O responsável, que balanceou as actividades desenvolvidas em 2011, indicou que o Centro de Formação da Chibia é tutelado pelo Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP).

Tempo

Multimédia