Províncias

Município necessita de milhares de salas

Domingos Mucuta | Lubango

O sector do ensino do Lubango, província da Huíla, precisa de cerca de 2.500 salas de aula para acolher 22.724 crianças que estudam ao relento, revelou o director municipal da Educação do Lubango.

Processo de ensino registou desenvolvimento tendo em conta o aumento de escolas
Fotografia: Domingoas Mucuta| Lubango

Pedro Chissingui, que revelou o facto à margem da XI plenária do comité municipal do MPLA, acrescentou que outras 2.450 crianças ainda se encontram fora do sistema de ensino.O director municipal da Educação do Lubango referiu igualmente que o seu sector deve admitir, nos próximos anos, mais de mil professores, para garantir o ensino nas quatros comunas do Lubango.
Pedro Chissingui informou que o município do Lubango matriculou, neste ano lectivo, 232.804 alunos no ensino primário, dos quais 191.­803 frequentam aulas em salas de construção definitivas. O ensino é assegurado por 6.492 professores. Por outro lado, o Programa de ­Alfabetização e Aceleração Escolar beneficia 18.277 alunos, nos mó­dulos I, II e IIl, mas regista falta de manuais didácticos em muitas localidades. O subsistema tem ao ser­viço 49 professores efectivos, 159 alfabetizadores subsidiados e 200 voluntários.
Pedro Chissingui revelou que o processo de ensino registou um “desenvolvimento inquestionável”, na medida em que a cada ano aumento o número de escolas, de alunos e docentes.
“Sugerimos que as escolas com uma densidade população acima das suas reais capacidades sejam reabilitadas e ampliadas”, defendeu o director da Educação, que solicitou a construção de casas geminadas para os professores das zonas recônditas.
Pedro Chissingui disse, sem revelar o número de beneficiários, que o programa de merenda escolar beneficia 15 estabelecimentos de ensino.

Tempo

Multimédia