Províncias

Na comuna de Tchamutete vida volta à normalidade

Arão Martins | Lubango

A circulação de pessoas e bens em Tchamutete, município da Jamba, província da Huíla, voltou agora a fazer-se com certa normalidade, após a redução da intensidade das chuvas, que se abatiam sobre a região desde Dezembro do ano passado.

A circulação de pessoas e bens em Tchamutete, município da Jamba, província da Huíla, voltou agora a fazer-se com certa normalidade, após a redução da intensidade das chuvas, que se abatiam sobre a região desde Dezembro do ano passado.
Segundo o administrador comunal de Tchamutete, Galiano Ntyamba, que prestou quinta-feira a informação, as enxurradas registadas desde Dezembro provocaram o transbordo dos rios, causando o isolamento da comuna da sede municipal.
Os caudais dos rios Colui, Calonga e Tchipia aumentaram, disse o administrador, avançando que a alternativa para a circulação de pessoas e mercadorias era a ponte do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, construída sobre o primeiro rio.
Quando os caudais dos rios subiram, segundo Galiano Ntyamba, as autoridades locais pensaram que as pontes sobre o Colui, Calonga e Tchipia tinham cedido à força das águas, quando, na verdade, as infra-estruturas estavam apenas encobertas. Esta situação aconteceu, explica o administrador, pelo facto das pontes estarem situadas em áreas baixas, o que facilitou que as águas transbordassem, inviabilizando a circulação de pessoas e bens, por cerca de dois meses.
O responsável afirmou que os mesmos estragos foram registados no sector de Cacinga, a 18 quilómetros da sede comunal de Tchamutete.
Galiano Ntyamba informou ainda que a ponte sobre o rio Muakanda desabou, tendo também contribuído para o isolamento da localidade. O administrador comunal disse que, para repor a circulação entre a localidade e o resto do município, foi aberta uma via alternativa, assim como se colocou uma ponte provisória sobre o rio Muakanda, o que está a facilitar as deslocações.

Tempo

Multimédia