Províncias

Nova cidade nos arredores do Lubango

Arão Martins | Lubango

Uma nova cidade, denominada Alta da Tundavala, é criada em breve na zona de Nanguluve, comuna da Quilemba, arredores do Lubango, província da Huíla, ocupando uma área de 5,1 milhões de metros quadrados.

A maqueta da área de implantação da cidade Alta da Tundavala foi apresentada ao governador da Huíla e aos membros do Governo provincial
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

O projecto do Governo Provincial da Huíla prevê a construção de duas mil habitações, escolas, hospitais, centros recreativos, infantários, igrejas, campos polivalentes, jardim zoológico, zonas verdes, entre outras infra-estruturas.
Um dos designers do projecto da construção da cidade Alta da Tundavala, Walter Raposeira, disse que os trabalhos de abertura dos arruamentos e outras áreas estruturantes começaram.
Walter Raposeira indicou igualmente que na futura urbanização arrancaram também as obras da Universidade Piaget do Lubango, numa altura em o parque animal será implantado no extremo direito da estrada que liga a cidade do Lubango à fenda da Tundavala.
Walter Raposeira adiantou que o projecto da nova cidade começou em 2012 e os lotes para autoconstrução dirigida começam a ser entregues em breve pela Administração Municipal do Lubango.
O governador da Huíla, João Marcelino Tyipinge, visitou terça-feira a área onde é implantada a nova cidade e reafirmou o empenho do Executivo e do Governo Provincial em proporcionarem melhor qualidade de vida aos cidadãos com a criação de novas zonas habitacionais. Até agora, mais de dois mil processos a solicitar lotes de mil metros quadrados, para a construção de moradias, deram entrada no Governo Provincial da Huíla.
A Administração Municipal do Lubango registou também 14 mil processos a solicitarem espaços para a autoconstrução dirigida, disse o governador da Huíla.
Marcelino Tyipinge referiu que a construção de equipamentos sociais, como escolas, centros de saúde, hospitais, locais recreativos e outros, é prioridade na zona de Nanguluve. “Onde houver concentração populacional temos que colocar estruturas básicas de apoio, para evitar a movimentação desnecessária das pessoas”, sublinhou o governador Marcelino Tyipinge.

Distribuição de lotes

Marcelino Tyipinge defendeu maior celeridade por parte das administrações municipais na cedência de lotes à população para a autoconstrução dirigida.
O governador da Huíla salientou, por outro lado, que os processos não devem ficar quase dois anos nos gabinetes dos administradores municipais ou no Governo provincial ­para serem despachados, como acontece hoje. “Deve-se despachar os expedientes para que as pessoas possam realizar o sonho de ter casa própria”, acrescentou
Marcelino Tyipinge manifestou-se satisfeito com o grau de execução das obras de construção das 11 mil casas a nível da centralidade da Quilemba, empreitada a cargo da construtora CITIC.
As obras estão avançadas, o que vai colmatar o défice habitacional que ainda se regista na Huíla, particularmente na cidade do Lubango, disse o governador.

Tempo

Multimédia