Províncias

Nova escola para centenas de crianças

Arão Martins| Bunjei

Crianças da sede comunal do Bunjei, município do Chipindo, na Huíla, passam a frequentar aulas em melhores condições, no segundo semestre do ano lectivo em curso, com a inauguraçãode uma escola de sete salas, pelo governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge.

Fotografia: Arão Martins |Edições Novembro|Huíla

A escola foi construída com fundos do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Fome e à Pobreza.
As obras custaram aos cofres do Estado 41 milhões de kwanzas, incluindo o apetrecho da escola com carteiras, quadros pretos, colocação do sistema solar, bem como a criação de uma cantina escolar.
A instituição escolar dispõe ainda de gabinetes do director e seu adjunto, zona administrativa, área de lazer, sala para professores e jardim. O estabelecimento escolar, além de acolher alunos que estudavam em salas provisórias, vai permitir inserir mais crianças em idade escolar que ainda se encontram fora do sistema de ensino.
Quintina Martins, em nome dos alunos, disse que é na escola onde a criança recebe os primeiros instrumentos que a habilitarão a lutar pela existência, bem como as  normas e regras para se tornar um membro útil à sociedade.
“Bem-haja, às autoridades que tornaram possível a abertura da nova escola em benefício das crianças desta região, conhecida como “Pão do Saber”, disse, acrescentado que o homem moderno não dispensa os conhecimentos que só a escola ministra, assim como a educação que ela proporciona.
Garantiu que a sociedade estudantil compromete-se a cuidar com zelo a instituição, para que a mesma sirva também as gerações vindouras. Em nome dos pais e encarregados de educação, Francisco Tchongolola disse que a inauguração da escola é de grande importância, porque vai permitir inserir mais crianças em idade escolar, que se encontram fora do sistema de ensino e aprendizagem.
 O administrador comunal do Bunjei, Américo Vilula, disse que, com a nova escola, a comuna passa a dispor de 15 instituições do ensino primário. Informou que no ano lectivo 2017 foram matriculados 6.450 alunos. As aulas são garantidas por 147 professores.
Bunjei, referiu o administrador comunal, dista a 45 quilómetros a norte da sede municipal do Chipindo, com uma superfície de 910 quilómetros quadrados e tem 28 aldeias, com três regedorias, e uma população estimada em cerca de 15.643 habitantes, em conformidade com os resultados do censo geral da população e habitação, realizado em 2014.

Reabilitação de pontes

Américo Vilula reconheceu que o progresso do Bunjei se faz sentir paulatinamente, embora “lamentamos ainda a falta de reabilitação das pontes e pontecos nos troços Bunjei-Ngove e Bunjei-sede municipal do Chipindo, via Ndovala.
Em relação às condições sociais das comunidades, frisou que estão minimizadas, tendo em conta a redução considerável de preços dos principais produtos da cesta básica no mercado informal.
O administrador comunal de Bunjei, Américo Vilula, pediu ao Governo Provincial da Huíla incentivo para o abastecimento de medicamentos a todas as unidades sanitárias da comuna e acrescentou que a população do Bunjei clama pela colocação de uma antena repetidora da Unitel, para permitir a comunicação com outros municípios, províncias e o mundo, preocupação já apresentada ao governador provincial da Huíla, aquando da sua última visita à localidade, onde estão em curso diversas acções de impacto social para melhorar a qualidade de vida da população, com destaque para os sectores da Saúde e da Educação .

Combate ao analfabetismo


O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, defende a criação de um sistema com qualidade, eficiente e integrado, envolvendo todos os subsistemas de ensino e o de formação de professores, bem como a eliminação do analfabetismo. Explicou que o Governo vai continuar a promover a melhoria da qualidade do sistema de educação-formação, reduzindo o abandono e a repovoação escolar.
“O Governo vai continuar a elevar a taxa de escolaridade, em particular dos ensinos secundários e médio, com prioridade para as áreas técnico-profissionais e tecnológicas, necessárias ao desenvolvimento do país”, disse. Informou que se vai ampliar o número de salas de aula e recrutar e colocar professores com perfil científico, técnico e pedagógico adequado, para o ensino primário atender muitas crianças em idade escolar.

Tempo

Multimédia