Províncias

Novas escolas abrem para integrar todas as crianças

Arão Martins | Lubango

Pelo menos, 42 salas de aulas, construídas de raiz, para o ensino primário, no Lubango, província da Huíla, foram inauguradas pelo governador Isaac dos Anjos.

Governador procedeu ao corte da fita
Fotografia: Arimateia Baptista

Pelo menos, 42 salas de aulas, construídas de raiz, para o ensino primário, no Lubango, província da Huíla, foram inauguradas pelo governador Isaac dos Anjos.
As escolas foram inauguradas, na comuna da Quilemba, nos bairros Nambambe e Hélder Neto, com seis salas cada, enquanto os estabelecimentos erguidos nos bairros João de Almeida e Tchavola possuem 12 salas cada.
Erguidas no quadro do Programa de Investimentos Públicos, as inaugurações fazem parte do programa de comemoração do Dia do Herói Nacional. As obras de construção da escola de 12 salas da localidade da Tchavola duraram 180 dias. Para a sua efectivação, o Governo Provincial empregou 46 milhões de kwanzas.
Quanto à construção das escolas de seis salas, que duraram 150 dias, o governo da Huíla gastou 20 milhões de kwanzas para cada uma das instituições escolares.
O director provincial da Educação na Huíla, Américo Chicote, informou que as escolas vão permitir albergar 3.360 alunos que estudavam ao ar livre.
Américo Chicote reconheceu que o número de salas construídas no Lubango é muito significativo, principalmente, nesta altura, em que se aproxima a época das chuvas. Com a entrada em funcionamento de novas salas, as crianças vão assistir às aulas de forma mais cómoda e sem constrangimentos que possam comprometer o rendimento dos alunos no final do ano lectivo. O governador Huíla, Isaac dos Anjos, disse que a construção de escolas é fundamental para a educação massiva da população. “Construindo escolas estamos a lutar para vencermos o subdesenvolvimento”, disse.
Isaac dos Anjos alertou para a necessidade de evitar que mais crianças estudem debaixo de árvores e reconheceu que ainda faltam salas nas comunas da Arimba, Huíla, Hoque e Quilemba.

Mais obras entregues

O governador Isaac dos Anjos garantiu que existem ainda obras em curso para serem entregues, no decurso deste ano, empreendimentos que vão ajudar que mais crianças, em idade escolar, possam frequentar aulas, em 2012.
Isaac dos Anjos pediu a colaboração dos pais e encarregados de educação na conservação dos novos equipamentos sociais construídos com fundos públicos.
O governador provincial da Huíla anunciou a inauguração de novos equipamentos sociais, nos municípios de Caconda, Caluquembe, Chipindo, Cuvango, Cacula e Quilengues, no quadro das comemorações do 17 de Setembro.

Laboratório

O Banco Africano de Investimento (BAI) doou sexta-feira, no Lubango, um laboratório de informática à escola primária nº 60, no âmbito do Projecto de Tecnologias de Informação na Sala de Aula (TISA). O laboratório, que dispõe de equipamentos com ferramentas que comportam softwares específicos para cada disciplina, vai beneficiar 1.735 alunos.
O professor Abel António disse que o processo de ensino e aprendizagem só se torna concreto e interessante com a disponibilidade de meios de ensino. Daí acreditar que os equipamentos entregues são o suporte dos métodos por serem recursos necessários e indispensáveis à actividade docente. Aquele agente do ensino afirmou que a sala vai registar uma eficiência no processo de assimilação de conhecimentos por parte dos alunos, que vão ter melhores condições para o desenvolvimento de capacidades, hábitos, habilidades e formação de convicções.
Na tarefa de ensinar, educar e formar o homem de amanhã, o professor considerou ser importante o material informático útil, por dar segurança no processo de ensino e aprendizagem. Abel António reconheceu que o Executivo tem estado a desenvolver várias acções em prol do desenvolvimento da educação, com a construção de escolas, admissão de novos agentes e da inserção de crianças em idade escolar no sistema de ensino. A responsável do departamento provincial de Educação da Huíla, Paula Nepalanga, disse que o laboratório de informática inaugurado, na referida escola pública do Lubango, é de extrema importância, uma vez que vai permitir as crianças, desde tenra idade, a estarem munidas de conhecimentos e dominar as novas tecnologias de informação.
 Paula Nepalanga disse que, a par dos alunos, o laboratório de informática vai servir também para a actividade dos docentes, principalmente na investigação de conteúdos.
O director regional sul do BAI, José Castilho, disse que mantendo-se fiel à identidade da instituição financeira, que tem entre as suas referências a contribuição para o desenvolvimento de Angola, a agência tem desenvolvido um conjunto de acções em vários segmentos para garantir um avanço social.
Afirmou que sendo uma corporação que investe no desenvolvimento integral do país, o BAI tem contribuído para a melhoria do sistema de ensino em Angola.
Para além da educação, o programa de responsabilidade social da instituição bancária inclui apoios às áreas da cultura, ambiente, desporto, saúde, entre outras, que valorizam a comunidade e o país, garantindo um futuro sustentável e próspero, referiu.
“O BAI pretende contribuir para o futuro das nossas crianças, que vão ser os grandes continuadores do desenvolvimento de Angola, colocando-lhes ao dispor as mais avançadas tecnologias que permitem desenvolver os seus conhecimentos e fomentar, desde já, o gosto pela pesquisa e pelo saber”, adiantou.
 Nos próximos tempos, a instituição vai criar uma academia para formar os futuros quadros bancários, disse, para adiantar que nela vão estar certamente alunos de várias escolas do Lubango.

Tempo

Multimédia