Províncias

Novo mercado municipal aberto na vila da Humpata

Arão Martins |Humpata

Mais de 300 vendedores informais da vila da Tamana, no município da Humpata, 22 quilómetros a oeste da cidade do Lubango, vão ser acolhidos no novo mercado municipal, aberto na última quarta-feira.

Produtos deixam de ser expostos ao sol evitando o risco de se deteriorarem facilmente
Fotografia: Arão Martins|Lubango

Mais de 300 vendedores informais da vila da Tamana, no município da Humpata, 22 quilómetros a oeste da cidade do Lubango, vão ser acolhidos no novo mercado municipal, aberto na última quarta-feira.
A infra-estrutura possui um posto de socorro, posto policial, talho, peixaria, salsicharia, padaria, armazéns, seis lojas, gabinete administrativo, parque de estacionamento para 700 viaturas, latrinas, espaço para a instalação de duas agências bancárias e outras dependências.
Cerca de 78 milhões de kwanzas foram empregues na construção do mercado, em mais uma acção do programa municipal integrado de desenvolvimento rural e combate à fome e pobreza. As obras foram realizadas pela empresa de construção civil Socigest.
O encarregado de obras, Miguel António, revelou que estiveram envolvidos 60 trabalhadores, entre engenheiros de construção civil, pedreiros, electricistas, canalizadores e pintores.

Beneficiários satisfeitos

Os beneficiários estão satisfeitos com a construção e abertura ao público do empreendimento, por livrar os feirantes e clientes da exposição ao ar livre.
Ana Maria, vendedora de hortícolas, afirmou que no antigo mercado os produtos eram expostos ao sol, o que contribuía para a sua má conservação. “Os produtos como a maçã, pêra, abacate, manga e hortaliças estragavam-se depressa”, notou.
“A venda de produtos ao ar livre tem prejuízos para a saúde das pessoas”, reconheceu Ana Maria, acrescentando que agora cada utente tem um bom espaço para desenvolver a sua actividade.
Além disso, existe ainda uma área adjacente ao mercado destinada à sua expansão, para acolher todos os vendedores do antigo mercado paralelo.
 A administradora municipal da Humpata, Maria do Céu, disse que o novo mercado confere maior dignidade aos vendedores e compradores, mas referiu que o antigo mercado paralelo ainda é uma referência para os clientes de outras províncias, como Luanda, Namibe, Benguela, Huambo, sobretudo devido à abundância de fruta, hortaliças e outros produtos do campo.
Maria do Céu sublinhou que o município recebeu 214 milhões de kwanzas, no quadro do programa de desenvolvimento rural e de combate à fome e pobreza, que estão a ser a aplicados na construção de mais postos de saúde, escolas e reabilitação de vias terciárias, para permitir maior mobilidade nas trocas comerciais entre o campo e a cidade.
A responsável acrescentou que vão continuar a trabalhar para que os recursos sejam empregues com “rigor” em todas as localidades.

Tempo

Multimédia