Províncias

Novos autocarros na Jamba Mineira

Estanislau Costa e André Amaro | Jamba

Se ontem para viajar da Jamba Mineira para o Lubango o passageiro era obrigado a gastar 700 kwanzas pela corrida, hoje tem apenas
de pagar, para o mesmo percurso, 60, economizando 640, com a entrada em funcionamento de dez novos autocarros públicos. Conforto, segurança e preços ao alcance do trabalhador comum é o que se pretende.

Um pouco por todo o país as autoridades estão a fazer a entrega de novos autocarros para o transporte regular de passageiros
Fotografia: Jornal de Angola

O transporte de passageiros e mercadorias no município da Jamba Mineira vai, doravante, realizar-se com maior conforto, segurança e eficiência, com a entrega, pela Direcção Provincial dos Transportes da Huíla, de dez autocarros novos à municipalidade.
Entregues no quadro da expansão dos serviços sociais básicos às populações, cada autocarro tem capacidade para 30 a 50 passageiros. Durante o acto, foram também entregues oito autocarros para servir os munícipes do Cuvango.
A directora provincial dos Transportes na Huíla, Mariana Dias, disse que a entrega dos meios, que está a ser feita em todas as províncias do país, faz parte de um amplo programa do Governo para melhorar a mobilidade das pessoas e reanimar as ligações inter-municipais e provinciais.
O administrador municipal da Jamba, Miguel Kassela, disse que os autocarros são mais uma importante alavanca para o desenvolvimento das terras do mineiro de ferro e ouro. “As pessoas vão poder deslocar-se a preços módicos para os postos de trabalho sem ter de apanhar táxi e empurrões”, declarou.
O administrador municipal apontou que os novos autocarros vão permitir não só a mobilidade das pessoas, mas também a contenção de gastos com o transporte. “As pessoas vão poder poupar mais, porque uma corrida de táxi Jamba-Lubango custa 700 kwanzas e os novos autocarros, pelo mesmo percurso, cobram apenas 60 kwanzas. Para quem o utilizar apenas na sede do município a passagem fica por 20 kwanzas”, indicou.
Miguel Kassela disse ainda que havia gente que se recusava viajar de táxi por razões de segurança. “Muitos motoristas não têm responsabilidade durante a condução. O excesso de velocidade, o não cumprimento das regras de trânsito, entre os candongueiros, são as razões principais dos muitos acidentes que se registam no município”, disse.
Assegurou que agora, com a entrada em funcionamento dos novos autocarros públicos, o fluxo de passageiros vai aumentar e a circulação é feita também com maior segurança.
O administrador explicou que os motoristas dos autocarros públicos foram recrutados através de um rigoroso concurso onde o profissionalismo, os anos de experiência e a responsabilidade foram tidos como factores fundamentais para admissão.
“Embora o erro seja humano, não podemos falhar quando o que está em jogo são vidas humanas”, disse Miguel Kassela.

Energia eléctrica
 
Privados de energia eléctrica há mais de dez anos, os mais de sete mil habitantes da comuna de Chamutete, no município da Jamba Mineira, já se sentem mais aliviados, com a inauguração, a 11 de Novembro, de um moderno sistema de fornecimento de energia com capacidade para gerar 240 KVA.
Além da energia domiciliar aos mais de sete mil habitantes da sede comunal, o sistema também vai assegurar a iluminação pública, com a instalação de mais de cinquenta candeeiros nas ruas da sede da comuna. Mais de 17 milhões de kwanzas foram empregues pelo governo da província na efectivação do projecto, no quadro do Programa de Investimentos Públicos.
O governador da Huíla, Isaac Maria dos Anjos, que procedeu à inauguração do sistema, considerou ser apanágio do governo levar energia eléctrica às localidades mais recônditas da Huíla, por ser este um bem essencial para o desenvolvimento económico e social do país.
Aos munícipes, o governador pediu que preservem o sistema ora montado para que, como em outras partes do mundo, o desenvolvimento comece a ser construído também ali.

Festa da Independência
 
O município mineiro da Jamba, 315 quilómetros a leste da cidade do Lubango, viveu momentos inesquecíveis durante o acto comemorativo do 34º aniversário da Independência nacional, assinalado dia 11. Além da sua participação em actos políticos, houve o lado lúdico da efeméride, que contou com a presença de milhares de pessoas provenientes da Matala, Quipungo, Cacula e mesmo do Lubango.
A festa da dipanda envolveu, de forma empolgante, munícipes da Jamba e de outros pontos da província da Huíla e do país. Teve momentos recheados de actividades sociais, culturais, desportivas e de lazer, reanimando os habitantes daquele pequeno vilarejo mineiro do interior da Huíla.
Jovens de vários movimentos partidários, eclesiásticos e de associações estudantis trocaram experiências sobre a importância da formação profissional, emprego, montagem do próprio negócio e outros assuntos de interesse.
“A prevenção da Sida”, “Gripe A”, “Convivência pacífica entre membros de vários movimentos partidários”, foram igualmente reflectidos no certame programado para comemorar os 34 anos de independência nacional.
O governador da província da Huíla, Isaac dos Anjos, explicou aos presentes que o 11 de Novembro de 1975 deve ser uma data “muito considerada e festejada porque os seus ganhos são muitos. O povo angolano se tornou livre e passou a organizar o seu próprio destino”.
“É preciso reconhecer que houve situações que atrapalharam o progresso dos angolanos, mas com a conquista da paz está a ser possível a construção e reconstrução de infra-estruturas sociais, económicas, desportivas e de lazer”, disse.
De acordo com o governador, na província da Huíla “foram lançados os programas de desenvolvimento, onde se realça as obras dos caminhos-de-ferro de Moçâmedes, das estradas inter-provinciais e municipais, escolas, hospitais, telecomunicações, etc.”
Isaac dos Anjos exortou, no acto provincial realizado na sede da Jamba, a juventude a trabalhar arduamente para preservar os ideais da independência. “Fazemos um desafio de trabalho árduo com o orgulho de ser angolano”, disse a concluir Isaac dos Anjos.

Tempo

Multimédia