Províncias

Novos furos de água em Tchamutete

Arão Martins| Jamba

Habitantes de bairros da comuna de Tchamutete, município da Jamba, vêem melhorado, nos próximos tempos, o sistema de abastecimento de água potável, com a abertura de seis novos sistemas em curso.

Comuna tem conhecido melhorias em vários sectores como o da Educação e Saúde com a construção de escolas e postos médicos
Fotografia: Arimateia Baptista

Os novos sistemas estão a ser construídos nas localidades de Mutiapulo, Tchacaia, Luquene e Cussoneca, anunciou o administrador comunal de Tchamutete, Galiano Ntyamba.
Tchamutete tem uma população estimada em 24 mil habitantes. O projecto, iniciado no princípio deste ano, está inserido no Programa “Água para todos” e decorre a bom ritmo.
Além da abertura de novos furos, são criadas também novas estações de captação e distribuição de água. O administrador informou que existe na comuna o caudal do rio Coluí, que atravessa a sede de Tchamutete e serve de fonte principal para abastecer água às populações e ao gado bovino.
A comuna de Tchamutete é uma região bastante vasta mas seca. “Com a abertura de novos furos de água, a população e seu gado deixam de percorrer grandes distâncias e passam a consumir um produto mais regular e com melhor qualidade”, adianta.
A par do sector das águas, o administrador Galiano Ntyamba manifestou-se satisfeito com o crescimento que a comuna regista noutras áreas, com destaque para a saúde e educação.
No quadro do Programa de Combate à Pobreza, foi construída recentemente na sede comunal uma escola de seis salas, assim como está ainda em curso a edificação de outra com as mesmas dimensões.
No presente ano lectivo, segundo o administrador comunal, foram matriculados mais de dez mil alunos do ensino primário ao secundário do II ciclo de ensino, assistido por 94 professores. A comuna, dentro do Programa de Combate à Pobreza, beneficiou da construção de 11 mangas de vacinação.

Vacinação animal

O administrador comunal anunciou que nos próximos dias começa uma campanha de vacinação, que abrange 20 mil cabeças de gado. O programa de vacinação contra a raiva abrange também cães, gatos e macacos.
As mangas permitem que a sanidade bovina seja melhorada, tendo ressaltado que a comuna tem um défice de veterinários, que foi colmatado com a admissão de novos técnicos formados em diversos institutos médios agrários.

Posto de saúde

O sector sanitário também registou uma melhoria significativa, com a entrada em funcionamento do novo posto médico, construído na localidade de Cassinga, a 45 quilómetros da sede comunal. Na comuna foram ainda construídas mais três unidades sanitárias, sendo uma na sede de Tchamutete e outras instalações em mais povoações. Galiano Ntyamba reconheceu que o Programa de Combate à Pobreza tem estado a ajudar muito no abastecimento de medicamentos, numa altura em que a comuna enfrenta muitos casos de malária, causando vários mortes. A agricultura é outra das apostas das autoridades para melhorar a renda das famílias, que continuam a fomentar o cultivo de cereais.
O administrador comunal considerou que a agricultura é o sector chave para o sustento das famílias, muitas das quais integradas em nove associações de camponeses, que cultivam vários hectares. Os camponeses têm recebido muitos apoios por parte das autoridades e de entidades empresariais.
 Este ano agrícola foram distribuídas quantidades elevadas de sementes e instrumentos de trabalho. Boa parte da população, que vive na parte sul e sudoeste da comuna, ainda regista seca, o que pode comprometer a época agrícola 2015, revelou o administrador comunal.
As autoridades estão a trabalhar no sentido de se avaliar os prejuízos nestas localidades, com vista a tomar-se outras medidas junto do Governo Provincial da Huíla.

Primeiro emprego

No início do projecto de prospecção do ferro, cerca de 200 jovens conseguiram o seu primeiro emprego, disse Galiano Ntyamba, numa altura em que o programa está paralisado.
O processo da construção e reabilitação de moradias para os funcionários do Caminho de Ferro de Moçâmedes decorre com normalidade.
Depois da reabilitação do ramal, que liga aquela comuna, a expectativa agora está virada para a ligação com a Namíbia, o que vai proporcionar enormes ganhos. O processo de construção do Monumento da Baixa de Cassinga está igualmente bem avançado. O projecto é uma manifestação do Governo da Namíbia, para a construção de um memorial em homenagem ao massacre de 4 de Maio de 1978. O processo está em curso. O Executivo já implantou no local cinco casas evolutivas, o que vai dinamizar a vida da população.

Tempo

Multimédia