Províncias

Novos hospitais melhoram o atendimento

Arão Martins | Lubango

O director provincial da Saúde disse ao Jornal de Angola que o Governo Provincial da Huíla aposta, este ano, na construção de dois hospitais municipais, no município do Lubango, para aumentar a capacidade de resposta no atendimento aos doentes.

Médicos de várias especialidades fizeram na semana finda consultas gratuitas à população carente da cidade do Lubango e arredores
Fotografia: João Gomes |

Altino Matias disse que a concretização dos dois projectos vai permitir também aumentar a capacidade de resposta no atendimento aos doentes dos bairros periféricos.
O responsável da Saúde reconheceu que a província da Huíla enfrenta ainda algum défice de infra-estruturas hospitalares.
O cenário, disse, faz com que a maior parte dos doentes recorra a­penas ao Hospital Central do Lubango, Pediatria Pioneiro Zeca e Maternidade Irene Neto.
Altino Matias reconheceu que a­pesar da existência de postos médicos e centros de saúde, construídos no âmbito do Programa de Combate à Pobreza, o défice ainda prevalece e só é superado quando entrarem em funcionamento os dois novos hospitais municipais, nos arredores da cidade do Lubango.  Assegurou que foram já construídas duas naves, que vão receber crianças que padecem de sarampo e má nutrição, no bairro da Mitcha, arredores da cidade do Lubango. Altino Matias disse que a formação dos técnicos de saúde é outra aposta do Governo e da direcção da Saúde: “temos consciência de que, com várias acções provinciais, a questão da humanização vai ser também preservada”.
As insuficiências da rede sanitária na província continua ainda a ser uma grande preocupação das autoridades locais. Na cidade do Lubango, que é o município com mais população, seguido pelo município de Caluquembe, são inexistentes hospitais municipais públicos, para ajudar a suportar a carga que se vive actualmente.
No Lubango, com um milhão e meio de habitantes, estão projectados dois hospitais municipais.
As populações que habitam nos bairros periféricos da cidade do Lubango começaram a beneficiar de assistência médica e medicamentosa gratuita.
O director provincial da Saúde na Huíla, Altino Matias, esclareceu que o processo de assistência sanitária gratuita é contínuo e insere-se no âmbito do programa de combate à pobreza e cuidados primários de saúde. “Vamos fazer, de forma faseada, a assistência de saúde gratuita no Lubango, para que, de forma contínua, a população beneficie de assistência médica aceitável”.
 Motivar os profissionais de saúde com acções contínuas de formação, de forma a efectuar um trabalho aceitável, constitui outra aposta da Direcção Provincial de Saúde na Huíla, segundo Altino Matias.

Tempo

Multimédia