Províncias

Novos serviços na maternidade do Lubango

Arão Martins | Lubango

A direcção da Maternidade Central do Lubango Irene Neto vai desenvolver este ano os serviços de ginecologia da puberdade e da adolescência nos serviços externos, para facilitar o seguimento de jovens grávidas, que precisam de internamento.

Autoridades sanitárias da Huíla traçam novas estratégias para diminuir os índices de mortalidade materno-infantil na região
Fotografia: Arão Martins

O director-geral daquela unidade hospitalar, Flávio Hilário, disse que o objectivo é proporcionar um seguimento melhor às jovens grávidas, de forma precoce. O responsável assegurou que, para o ano em curso, é ainda objectivo criar na maternidade o serviço de ginecologia da menopausa.
“Precisamos, para este ano, já que há esperança do Hospital Central ter um serviço de hagiologia, começar a realizar a embolização das artérias uterinas, para as pacientes portadoras de fibromiomas uterinos”, disse Flávio Hilário.
O director da Maternidade Central do Lubango acrescentou que nem sempre é necessário operar uma paciente que tenha miomas, que podem ser embolizados e evitar uma cirurgia. Há contactos avançados para a criação da escola de ultrasonografia. A maternidade local, esclareceu Flávio Hilário, é a unidade que tem maior número de médicos com formação nessa área.
Flávio Hilário informou que “já temos o aparelho de Raios X e de ultrasonografia 3 D e 4 D a funcionarem e outros equipamentos estão a permitir efectuar partos de forma segura.  A direcção da Maternidade do Lubango, acrescentou, está a criar uma unidade de cuidados especiais, que vai acolher as grávidas que têm patologias directamente ligadas à gravidez e que precisam de cuidados especiais e doenças crónicas não ligadas à gravidez.
As unidades especiais vão contar com aparelhagem fundamental em obstetrícia, a ser adquirida logo que haja disponibilidades financeiras. “Projectamos também a criação de uma área de cuidados intensivos neo-natais. Não basta ter um berçário sem os cuidados especiais associados”, referiu. A Maternidade Irene Neto conseguiu sair dos 58 por cento de mortes neo-natais precoces do ano anterior, para 17 por cento, porque foi adquirida uma substância que está a permitir diminuir a morte de bebés nascidos prematuramente.
O director-geral da Maternidade do Lubango esclareceu que recentemente o director provincial da Saúde celebrou, durante a realização das Jornadas Científicas da Faculdade de Medicina da Universidade Mandume ya Ndemufayo, um protocolo que vincula a Universidade às unidades hospitalares da província da Huíla.
 O protocolo já funciona e tem a participação dos médicos especialistas e internos de especialidade, estudantes do sexto ano médico e estagiários que estão a fazer a cadeira de ginecologia e obstetrícia.
 “Já se nota que a doente não fica abandonada e que o diário clínico da paciente e a sua terapêutica não é esquecida”, disse, acrescentando que se criou na maternidade um serviço novo de patologia do colo do útero, com a permissão e ajuda da Direcção Provincial da Saúde. Hoje já se faz o rastreamento do cancror« do colo do útero na maternidade”, informou.
 
Partos seguros

Flávio Hilário disse que  este ano, o objectivo é reforçar os serviços de cirurgia e lançar a vídeo-endoscopia diagnóstica: “São coisas com pouco custo e vamos trabalhar para lançar estes serviços ainda a partir deste mês de Janeiro”.
A maternidade vai também este ano massificar o programa do parto seguro, com a distribuição de materiais que permitem que a parturiente não precise de trazer nada de casa e sai do hospital com o seu bebé vestido. A maternidade, disse, vai ainda promover as consultas de infertilidade.
A direcção da maternidade vai igualmente trabalhar na alteração do fluxograma actual. A operação, afirmou Flávio Hilário, vai ajudar a diminuir a mortalidade materna.
“Vamos humanizar o hospital. Esta é uma das apostas que nos propusemos, a partir deste mês de Janeiro”, disse o director geral da Maternidade Central do Lubango. Consolidar o comité de mortes maternas, que já está em fase embrionária, e melhorar os indicadores actuais da gestão do hospital constituem ainda apostas fortes da direcção da Maternidade do Lubango, para este ano.

Tempo

Multimédia