Províncias

Obras da barragem hidro eléctrica ficam concluídas dentro de dois anos

Arão Martins |Matala

As obras de reabilitação e modernização da barragem hidroeléctrica da Matala, 180 quilómetros a leste da cidade do Lubango, iniciadas no ano passado e com conclusão prevista para 2014, vão melhorar o abastecimento de energia eléctrica nas províncias da Huíla e Namibe,

Com a reabilitação e reconstrução da barragem as autoridades perspectivam aumentar a capacidade de fornecimento de energia
Fotografia: Arão Martins|lubango

As obras de reabilitação e modernização da barragem hidroeléctrica da Matala, 180 quilómetros a leste da cidade do Lubango, iniciadas no ano passado e com conclusão prevista para 2014, vão melhorar o abastecimento de energia eléctrica nas províncias da Huíla e Namibe, garantiu o director provincial da Energia e Águas.
Abel João da Costa, que apresentava no Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Energia e Águas a situação actual do sector na província da Huíla,  afirmou que nas obras de reabilitação da barragem hidroeléctrica da Matala, de responsabilidade do Executivo, já aplicados 255 milhões de dólares, num financiamento do Canadá.
A empresa SNC-Lavalin, encarregada da reabilitação da barragem, começou os trabalhos em Julho do ano passado e os mesmos decorrem a bom ritmo e encontram-se num estado avançado.
O director provincial disse que neste momento estão a ser desenvolvidas acções de reabilitação dos sistemas de armazenamento e descarregadores de água com equipamentos hidromecânicos, substituindo-os em oito vãos, entre os pilares 15 e 36, por novos descarregadores de crista livre em betão.
Abel da Costa acrescentou que estão também a ser desenvolvidos trabalhos no bloco de descarga de fundo, entre os pilares número 36 e 37 e que são ainda removidas as actuais comportas.
O responsável disse que foram feitos estudos ambientais que permitem remover a terra do caudal sem consequências para o meio. A barragem hidroeléctrica da Matala foi construída em 1955 e apresenta vestígios de degradação nos pilares de suporte, facto que punha em risco os níveis de segurança. Abel João da Costa assegurou haver uma dinâmica positiva do Executivo, do governo provincial e da administração municipal, para que a obra termine nos prazos previstos.A obra permitiu empregar, numa primeira fase, mais de 100 trabalhadores, entre engenheiros, pedreiros e outra mão-de-obra, com o objectivo de efectuar obras de profundidade, quer na reabilitação da estrutura física da barragem quer na área técnica e instrumentalização da central hidroeléctrica da Matala. A barragem hidroeléctrica da Matala, com três grupos geradores de 13,6 megawatts cada, funciona com dois grupos geradores fornecendo energia eléctrica a cinco sedes municipais e quatro comunais.
“Numa primeira fase os trabalhos estão centrados na reabilitação de toda a infra-estrutura da barragem. Estamos certos que com o evoluir da outra fase os níveis de produção e fornecimento de energia eléctrica às províncias da Huíla e Namibe vão aumentar”, disse o responsável.A barragem hidroeléctrica da Matala funciona actualmente de forma precária, produzindo apenas 20 megawatts.
 Com a reabilitação e reconstrução da barragem, as autoridades perspectivam aumentar a capacidade de fornecimento de energia eléctrica às duas províncias para mais de 40 megawatts, melhorando assim as condições de qualidade de vida das populações.

Tempo

Multimédia