Províncias

Obras da mediateca do Lubango ficam concluídas no próximo ano

Domingos Mucuta | Lubango

A estrutura da futura mediateca do Lubango está a ganhar configuração à medida que as obras de construção avançam, oito meses depois da colocação, em Maio, da primeira pedra pela secretária para os Assuntos Sociais da Presidência da República, Rosa Pacavira.

O programa de Mediateca de Angola lançado em Novembro deste ano pretende fortalecer o sistema educacional
Fotografia: Arimateia Baptista|Lubango

A estrutura da futura mediateca do Lubango está a ganhar configuração à medida que as obras de construção avançam, oito meses depois da colocação, em Maio, da primeira pedra pela secretária para os Assuntos Sociais da Presidência da República, Rosa Pacavira.
As obras da mediateca do Lubango, orçadas em cerca de 4,3 milhões de dólares, estão, desde Maio último, a cargo da empreiteira chinesa Ecadint, que ergue o edifício junto da Universidade Mandume ya Ndemofayo, numa área de 3.135 metros quadrados.
O encarregado da obra, Zhao Dong Hai, disse ao Jornal de Angola que a execução dos trabalhos decorre sem sobressaltos e dentro dos prazos acordados no contrato com a Rede Nacional de Mediatecas de Angola. Zhao Dong Hai disse que cerca de 80 por cento dos trabalhos ficam concluídos a 15 deste mês e abrangem o bloco das salas de conferências, reuniões e estudos, servidores, hall de exposição e área de serviços.
A outra parte fica pronta em Janeiro do próximo ano, quando forem concluídos os compartimentos da área administrativa, da logística, armazenamento, multimédia, bibliotecas e outros.
A dinâmica e o empenho dos 40 trabalhadores chineses e angolanos levam o encarregado da obra a acreditar que o empreendimento fica concluído em Junho do próximo ano. O empreendimento vai comportar cinco zonas distintas para garantir serviços de qualidade aos utentes. O espaço reserva ainda bibliotecas para crianças, para estimular o hábito de leitura e de estudo dos menores.
A mediateca vai ter também salas para actividades com idosos e pessoas com deficiências físicas. A infra-estrutura social vai proporcionar uma variada gama de serviços à população, desde multimédia, cyber café, salas de conferências e espaços de lazer.
A mediateca do Lubango consta de um projecto da responsabilidade da rede nacional que prevê a construção, numa primeira fase, de infra-estruturas do género nas províncias de Benguela, Huambo, Lunda-Sul, Zaire e Luanda.
As mediatecas vão estar conectadas por Internet em banda larga para facilitar o acesso à base de dados, onde estudantes e cidadãos em geral podem armazenar e baixar documentos de interesse científico, cultural e outros, disse o coordenador nacional Pedro Teta, no acto de lançamento.
As mediatecas são serviços que o Executivo vai proporcionar aos utentes a fim de facilitar o acesso à informação, uma vez que Angola está inserida num mundo mais globalizado. Os espaços vão ainda proporcionar o acesso ao conhecimento, a promoção da literacia digital, da informação, da sensibilização e coesão comunitária.
O programa de Mediateca de Angola, lançado a 11 de Novembro de 2010, pretende fortalecer os sistemas educacionais de Angola, com o aumento das possibilidades de acesso aos processos e conteúdos educacionais e à formação, o que reforça o ensino e aprendizagem.

Tempo

Multimédia