Províncias

Obras nas avenidas melhoram circulação

Estanislau Costa| Lubango

As principais avenidas da cidade do Lubango, com elevado estado de degradação, estão a ser reabilitadas, desde a semana finda, por uma empresa local para tornar o trânsito mais fluido, confortável e minimizar as constantes reclamações dos automobilistas de veículos ligeiros e pesados.

Trabalhos de tapa buracos na cidade do Lubango estão a melhorar a circulação rodoviária
Fotografia: Estanislau Costa

Numa ronda efectuada aos vários pontos da cidade, o Jornal de Angola apurou que foram já remodeladas as zonas mais críticas das imediações do Arco-íris, entroncamento da Universidade Mandume, Grande Hotel da Huíla, Laureanos, Socotrac e Mapel, entre outros locais.
O administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, explicou tratar-se da primeira fase das obras contempladas nos troços que apresentam muitos buracos e fissuras provocados pelas chuvas, para impedir que os estragos e o embaraço na circulação rodoviária aumentem nesta fase.
A maior parte das ruas da cidade, com 93 anos, estão degradadas por nunca beneficiarem de obras de restauro. Aliado a isso, agrava-se o problema do crescimento incomensurável de viaturas ligeiras e pesadas que todos os dias circulam nestas vias.
Francisco Barros informou que são necessários recursos avultados, para se reestruturar as vias rodoviárias da urbe, mas, referiu, com a situação da crise financeira, torna-se difícil executar obras de grande envergadura para solucionar o problema. Por esta razão, disse o responsável, a administração optou por realizar trabalhos paliativos para minimizar o mau estado das estradas da cidade, com realce para as áreas quase intransitáveis e susceptíveis de provocar acidentes.
A Administração  Municipal do Lubango apostou também na construção de novas avenidas com a utilização de material local e de asfalto para descongestionar, cada vez mais, o trânsito. Nesta empreitada,  já foram entregues mais de 12 quilómetros de estradas reabilitadas e construídas. Foram já reabilitadas as ruas Comandante Satanás, no bairro Ferrovia, Millenium - 27 de Março, Largo do IMEL, Casa Pato - estrada nacional 180, Nossa Senhora do Monte e do mercado da Lage - talho da Lage. Consta ainda a estrada do Cemitério - largo do Cemitério, o prolongamento da rua Hoji-ya-Henda, rotunda do Arco-íris e outras.
A aguardar por recursos para a sua continuidade, estão as avenidas rotunda do João de Almeida - Santa do Tchioco, circular do Lubango, Km 16 - comuna da Palanca, passando pela histórica missão da Huíla e a da avenida do colégio Francinett - Fábrica de Cervejas N´gola.

Apoios para reestruturação

A deterioração da cidade do Lubango, como consequência da sua antiguidade, faz com que seja necessária uma renovação urbanística, com vista a melhorar a sua imagem estrutural, defendeu o governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge.
O governante informou que localmente têm sido feitas pequenas obras de reabilitação e aberturas de vias rodoviárias, mas insuficientes para atender as situações que a sede capital apresenta.
Os automobilistas enalteceram o trabalho que está a ser feito nas vias, por permitir eliminar os buracos nas terras da Chela, proporcionar mais segurança aos veículos e conferir uma nova imagem a determinadas zonas da cidade.
A quantidade de buracos que as estradas apresentavam contribuíam para uma péssima imagem da cidade e provocavam muitos acidentes.
Francisco António, satisfeito com as obras de recuperação das estradas, considerou ser necessário criar-se alternativas para os camiões de longo curso, principalmente quando estiverem carregados. “Convergem no Lubango veículos pesados vindos do Cunene, Namibe, Huambo e Benguela, facto que influencia na degradação do asfalto.”

Tempo

Multimédia