Províncias

Parte da presente campanha agrícola está comprometida devido à estiagem

Mais de metade dos 300 mil hectares cultivados na província da Huíla está comprometida devido à estiagem que se regista há dois meses, afirmou, à Angop, o responsável do departamento da Agricultura.

A maioria das culturas perspectivadas para a primeira fase estão danificadas o que pode comprometer a presente campanha agrícola
Fotografia: Jornal de Angola

Mais de metade dos 300 mil hectares cultivados na província da Huíla está comprometida devido à estiagem que se regista há dois meses, afirmou, à Angop, o responsável do departamento da Agricultura.
Jesus Rosa, que fez a revelação no final de um encontro com os responsáveis de secção do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), em que foram analisados os prejuízos causados pela falta de chuva, disse que 50 por cento das culturas dos municípios do Lubango, Matala, Caluquembe, Quilengues, Hum­pata, Chibia, Quipungo e Caconda estão secas.
A situação, salientou, é preocupante, pois a maioria das culturas perspectivadas para a primeira fase estão danificadas, o que pode comprometer a campanha de 2012/13.
Se a chuva cair nos próximos dias, referiu, 50 por cento de culturas de milho, massango, massambala e outros produtos podem ainda ser recuperadas.
Jesus Rosa anunciou que o governo da Huíla, por intermédio da direcção provincial da Agricultura, vai criar uma comissão multidisciplinar para junto dos camponeses avaliar os estragos provocados pela estiagem na região.
O responsável do departamento provincial de Agricultura aconselhou os 19 mil camponeses a não venderem as sementes, fertilizantes e adubos que têm para as utilizarem na segunda fase da campanha agrícola, que começa em Março, e sugeriu o cultivo de tubérculos, como batata doce e mandioca, atendendo à estiagem.

Tempo

Multimédia