Províncias

Pessoas com deficiência física recebem meios de locomoção

Domingos Mucuta | Lubango

 Ao todo, 130 deficientes físicos receberam na sexta-feira, no Lubango, cadeiras de rodas destinadas a facilitar a sua locomoção, entregues pela Associação Nacional de Apoio ao Ensino e Instrução de Menores (ANAIEM).

Mais de cem deficientes físicos beneficiaram sexta-feira de cadeiras de roda
Fotografia: Arimateia Baptista

Ao todo, 130 deficientes físicos receberam na sexta-feira, no Lubango, cadeiras de rodas destinadas a facilitar a sua locomoção, entregues pela Associação Nacional de Apoio ao Ensino e Instrução de Menores (ANAIEM).
A doação consta do projecto “Rodas de Esperança”, lançado em Dezembro de 2010 pela Associação Nacional de Apoio ao Ensino e Instrução de Menores com o apoio das organizações estrangeiras “Free Wheelchair Mission” e “Char Circle”, num financiamento avaliado em mais de 80 mil dólares.
As cadeiras destinam-se a crianças e adultos deficientes, acompanhados pelos lares de acolhimento da direcção provincial da Assistência e Reinserção Social (Minars), na Huíla.
A responsável do projecto “Rodas de Esperança”, Bebiana Cassule, explicou que a iniciativa prevê, numa primeira fase, a distribuição de 10 mil cadeiras de rodas em algumas províncias, através do levantamento das pessoas carentes, realizado pelas direcções provinciais e das comunidades.
O projecto pretende renovar as esperanças dos deficientes físicos, segundo Bibiana Cassule, que acrescentou que a ANAIEM entregou, até ao momento, 500 cadeiras, 130 das quais no Lubango e as restantes nas províncias do Moxico, Lunda-Norte e Malange.
Os beneficiários manifestaram o seu contentamento pela oferta dos meios que vão ajudar nas deslocações. A estudante de ciências jurídicas, Calícia César, agradeceu o gesto. “Estamos felizes pela ajuda, de resto seria impossível adquirir uma cadeira que custa entre 20 a 30 mil kwanzas”, disse.
Miguel Jamba disse que a doação acontece num intervalo de tempo muito longo, o que faz com que os portadores de deficiência utilizem cadeiras em estado avançado de degradação. “É uma satisfação enorme receber um meio tão raro. Estamos a estudar e precisamos de meios que nos ajudem a deslocar de um ponto para o outro, numa distância de sete quilómetros.
Pedimos às pessoas de boa fé para nos ajudarem ”, apelou. A directora provincial da Assistência e Reinserção Social, Catarina Manuel, considerou a iniciativa como uma valia porque “surgiu para solucionar um dos maiores problemas”. 
A oferta, disse, “veio mesmo a calhar e minimizar uma série de situações difíceis em que os deficientes viviam”. Agora tudo será mais fácil e os utentes vão poder deslocar-se sem dificuldade, concluiu Catarina Manuel.

Tempo

Multimédia