Províncias

Pioneiros revelaram virtuosismo artístico

Domingos Mucuta | Lubango

O talento poético do menino Agnelo da Rosa, proveniente da província do Cunene, impressionou ontem os presentes no encerramento do segundo Acampamento Municipal da Organização dos Pioneiros Agostinho Neto, realizado de 25 de Maio a 1 de Junho, no Lubango.

Dezenas de crianças mostraram as suas habilidades durante o acampamento
Fotografia: Domingos Mucuta | Lubango

O talento poético do menino Agnelo da Rosa, proveniente da província do Cunene, impressionou ontem os presentes no encerramento do segundo Acampamento Municipal da Organização dos Pioneiros Agostinho Neto, realizado de 25 de Maio a 1 de Junho, no Lubango.
Agnelo da Rosa, que se destacou no seio de 166 pioneiros da Huíla, Namibe, Benguela e Cunene, levou ao delírio governantes, pais e encarregados de educação e colegas ao declamar meia dúzia dos 35 poemas da sua autoria no cair do pano do retiro infantil.
O poeta de 11 anos revelou ao Jornal de Angola que tem o apoio do pai Fernando Tukufeipo para a composição das rimas, estando previsto para o fim deste mês o lançamento no mercado da primeira obra literária, caso haja patrocínios de empresários da província.
No encerramento, as crianças surpreenderam com apresentações e interpretações nas disciplinas de música, dança, teatro, literatura, cultura geral e outras vertentes, o que comoveu os adultos e a organização do Acampamento Municipal de Pioneiros do Lubango. O coordenador, Víctor Pacheco, sublinhou que as crianças revelam a importância do acompanhamento dos pais e encarregados de educação na orientação vocacional e no desenvolvimento de talentos dos filhos.“Foi possível ver crianças a cantar, interpretar peças teatrais e musicais, declamar poemas de artistas nacionais e de sua autoria. Os professores, as autoridades e os empresários devem apostar mais nestes meninos talentosos, porque é de pequenino que se torce o pepino”, sublinhou.

Convívio entre as crianças
           
O secretário provincial da OPA na Huíla, Longa Paquete, disse que as questões ligadas aos direitos da criança, vida escolar e associativa preocupam cada vez mais a Organização de Pioneiros Angolanos no país, e na província em particular.
Longa Paquete acrescentou que o acampamento visou promover o intercâmbio e convívio recreativo entre os pioneiros, proporcionar conhecimentos socioculturais, históricos e turísticos do município do Lubango, contribuir para o saneamento básico, repovoamento florestal e ocupar o tempo livre das crianças com actividades guiadas. Frisou que os meninos participaram em actividades sociais, como visitas a monumentos históricos e turísticos, empreendimentos industriais e comerciais, campanhas de plantação de árvores, palestras sobre os 11 compromissos, direitos da criança e ambientais e actividades culturais e recreativas.  “Devemos exercer o nosso verdadeiro papel em prol do bem-estar da criança e do alargamento de espaços de intercâmbio entre menores de diferentes estratos sociais. A OPA não é uma excepção, tendo em conta o que foi, é e sempre será um organismo influente neste âmbito”, sublinhou.
Assistiram à cerimónia encerramento a vice-governadora para a esfera Técnica, o director provincial da Educação do INAC, membros de associações e da sociedade civil.

Tempo

Multimédia