Províncias

Pobreza diminui nas comunidades rurais

André Amaro |Lubango

As autoridades governamentais da província da Huíla estão a distribuir alimentos, sementes e fertilizantes às populações assoladas pela fome em consequência da estiagem registada nalgumas localidades.

Gambos e Chibia foram os primeiros a beneficiar da ajuda por terem sido aqueles que mais cedo sentiram as consequência da estiagem
Fotografia: André Amaro| Lubango

As autoridades governamentais da província da Huíla estão a distribuir alimentos, sementes e fertilizantes às populações assoladas pela fome em consequência da estiagem registada nalgumas localidades.
Arroz, farinha de milho, feijão, sal iodado, conserva de peixe e óleo alimentar  e outros são alguns dos produtos que estão a ser distribuídos às populações dos municípios dos Gambos, Chibia, Quilengues, Caconda, Chicomba, Humpata, Quinino, Chapino, Caluquembe e Cuvango.
As populações dos municípios dos Gambos, Chipia e Quilengues, onde a situação era considerada mais crítica, foram os primeiros a ser contemplados, durante um acto orientado pelo vice-governador para a área Política e Social.
José Arão disse, no acto de entrega dos bens, que este apoio é uma reposta do Governo Provincial à situação de fome que atinge algumas populações da Huíla.
“Recebemos do Ministério da Assistência e Reinserção Social géneros alimentares em quantidade satisfatória para minimizar a situação a nível provincial. Estamos ainda a apoiar as pessoas com sementes e fertilizantes de vários tipos”, referiu.
A situação da fome é mais preocupante nos municípios dos Gambos, Chibia, Humpata e Quilengues, onde as populações têm como actividade primária a pastorícia.
A directora provincial da Assistência e Reinserção Social na Huíla, Catarina Manuel, informou que o seu órgão dispõe de 2.205 toneladas de produtos diversos para atender às populações dos dez municípios afectadas pela fome.O ministério da Assistência e Reinserção Social dispõe de 563 toneladas de arroz, 607,2 de farinha de milho, 156 de feijão, 177,5 de sal iodado, 2.872 de conserva de peixe 99,7 de óleo alimentar para assistir mais cem mil pessoas.O município dos Gambos, Chibia e Quilengues foram os primeiros a beneficiar desta assistência alimentar, porque começaram a sentir as consequências da estiagem muito mais cede que outros, sublinhou. A responsável do MINARS frisou que, além da seca, a situação da fome acentuou-se ainda mais nestes municípios porque as populações têm como actividade fundamental a pastorícia.
Assim, nos Gambos foram distribuídas 108 toneladas de produtos diversos, 140.374 na Chibia, 83 nos Quilengues, 109 em Caconda, 108 no Caluquembe, 93 na Chicomba, 401.596 no Cuvango, 224.658 na Humpata e 227.706 no Quipungo. O Governo Provincial da Huíla está a apoiar as populações com sementes, fertilizantes, meios de trabalhos, assistência técnica para que possam exercer a actividade agrícola. Além deste apoio, as autoridades governamentais da província estão a realizar campanhas de vacinação contra o sarampo nessas localidades e  a imunizar o gado contra o carbúnculo.

Beneficiários

O administrador do município dos Gambos, Leiais Souva, disse que os bens vão servir para acudir 6.558 pessoas mais necessitadas, distribuídas pelas comunas, sectores e aldeias.
A prioridade vai para as comunidades mais vulnerais e já identificadas, como as da localidade do Iungambue, onde estão concentrados imigrantes do município do Virei, província do Namibe. Nesta localidade existem crianças em estado nutricional preocupante, grávidas e crianças, idosos, deficientes físicos e viúvas, que necessitam de apoio alimentar urgente, sublinhou o administrar dos Gambos.
Para a administradora da Chibia, Otília Nolote, este apoio vai garantir alimentos para as comunidades num período de pelo menos de três meses, até que os produtos lançados na primeira época comecem a ser colhidos.Otília Nolote esclareceu que enquanto recebem apoio, as comunidades vão ser sensibilizadas a usar as baixas para produzirem culturas de curta duração.

Tempo

Multimédia