Províncias

População assolada por fome na Taka recebe auxílio das autoridades locais

André Amaro| Gambos

As 11 mil pessoas das tribos dos macahonas, mucubais e mumuilas, que vivem na povoação da Taka, afectadas por uma estiagem prolongada, começaram ontem a receber, do Governo Provincial, feijão, arroz, fuba,óleo, sementes e produtos de higiene.

Os criadores tradicionais de gado da Taka estão a vender o gado a preços muito baixos como resultado da estiagem prolongada
Fotografia: André Amaro| Lubango

As 11 mil pessoas das tribos dos macahonas, mucubais e mumuilas, que vivem na povoação da Taka, afectadas por uma estiagem prolongada, começaram ontem a receber, do Governo Provincial, feijão, arroz, fuba,óleo, sementes e produtos de higiene.
O vice-governador da Huíla, José Arão, que visitou a povoação de Taka, garantiu-lhes que vão continuar a receber apoio.
O vice-governador recordou que a situação se deve à estiagem prolongada, que dificulta a prática da agricultura, mas que não há falta de água para o consumo humano, pois há vários furos em funcionamento e que a povoação tem um centro de saúde com medicamentos suficientes, pelo que a assistência médica e medicamentosa está garantida.
Devido ao surto de sarampo e de carbúnculos, referiu, foram criadas equipas que, por tempo indeterminado, vão vacinar crianças e gado.

Agricultura e pecuária


O administrador municipal dos Gambos disse que “as sementes lançadas à terra há dois anos não atingem o estado de maturação devido à irregularidade da chuva”.
Elias Souva salientou a importância das autoridades garantirem alimentos à população durante os próximos seis meses até os camponeses voltarem a poder plantar. Os criadores tradicionais de gado da Taka estão a vender o gado a preços muito baixos como resultado da estiagem prolongada que provoca doenças nos animais, reduz-lhes o peso e mata-os, referiu o responsável da povoação. Em função do tamanho e do peso, declarou Matias Canangolino, os animais são vendidos entre os dez e 11 mil kwanzas.
Desde o mês de Setembro, lamentou o administrador dos Gambos, já se registou a morte de 15 animais devido ao carbúnculo sintomático. Anunciou para breve a construção de novos bebedouros para travar a morte de animais. No quadro do Programa “Água para Todos” está prevista a construção, em todo o município, de 30 pontos de água e de cinco sistemas convencionais.
A povoação da Taka, pela situação que está a viver, vai ser das primeiras a beneficiar desta iniciativa do Executivo.

Tempo

Multimédia