Províncias

População é esclarecida sobre a doença

Domingos Mucuta| Lubango

Mais de quatro mil pessoas, entre camionistas, trabalhadoras de sexo e proprietários de casas nocturnas dos municípios do Lubango e da Chibia, vão receber informação sobre os métodos de prevenção do HIV/SIDA, anunciou o responsável de um projecto de luta contra a doença, denominado “Proactivo”.

Estão a ser distribuídos panfletos sobre a Sida
Fotografia: Jornal de Angola

Mais de quatro mil pessoas, entre camionistas, trabalhadoras de sexo e proprietários de casas nocturnas dos municípios do Lubango e da Chibia, vão receber informação sobre os métodos de prevenção do HIV/SIDA, anunciou o responsável de um projecto de luta contra a doença, denominado “Proactivo”.
Elias Amaral explicou, durante a apresentação oficial do projecto da organização não governamental Acção para o Desenvolvimento e Solidariedade (ASD), que os activistas vão, durante nove meses, distribuir cartilhas contendo informações sobre os vários métodos de prevenção do VIH/SIDA, para evitar o comportamento de risco.
O activista de luta contra a sida na Huíla disse que o projecto está orçado em 60 mil dólares, financiados pelo Serviço Internacional para a População (PSI). Os activistas vão distribuir folhetos e cerca de 15 mil preservativos aos camionistas e às trabalhadoras de sexo, por fazerem parte de grupos de risco, que adoptam comportamentos negativos como o envolvimento com vários parceiros sem o uso da “camisinha”.  A ASD trabalha em parceria com o Instituto Nacional de Luta Contra a Sida na província da Huíla, para assegurar o atendimento e acompanhamento de três mil beneficiários do projecto “Proactivo”, nos centros de aconselhamento e testagem voluntária.
O director executivo da Acção para o Desenvolvimento e Solidariedade, Renato Raimundo, está preocupado com a qualidade dos serviços prestados nos centros de aconselhamento e testagem voluntária espalhados nos municípios da província da Huíla. “Muitos potenciais beneficiários dos centros de aconselhamento e testagem voluntária queixam-se do mau atendimento e, por isso, como metodologia de trabalho, mensalmente serão reportadas as informações aos deputados do círculo provincial da Huíla”, disse Renato Raimundo.

Tempo

Multimédia