Províncias

População empenhada na construção de escolas

André Amaro | Lubango

O município da Chicomba, província da Huíla conta, este ano lectivo, com três novas escolas, com capacidade para 1.470 alunos do ensino primário e segundo ciclo do ensino secundário.

O município da Chicomba, província da Huíla conta, este ano lectivo, com três novas escolas, com capacidade para 1.470 alunos do ensino primário e segundo ciclo do ensino secundário.
A construção dos novos empreendimentos, nas comunas do Quê e Kutenda e na sede de Chicomba, foi financiada pelo Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza (PMIDCP). Os três estabelecimentos custaram 60 milhões de kwanzas aos cofres do Estado.
O responsável da Educação no município, João Kambanja, disse que as três novas escolas representam um grande ganho para o ensino. João Kambanja avançou que, a nível das comunas, decorre a construção de mais escolas no âmbito do PMIDCP e por iniciativa dos moradores, que devem entrar em funcionamento no próximo ano lectivo.
Os alunos da sede do município de Chicomba têm facilitado o acesso às novas tecnologias de informação e comunicação, com a inauguração de uma biblioteca municipal, apetrechada com livros e computadores ligados à Internet. A biblioteca, construída no quadro do PMIDCP, vai servir alunos, professores e funcionários públicos da municipalidade.
O estudante Agostinho Sapalo, referiu que a abertura da biblioteca vai contribuir para a melhoria da qualidade do ensino, porque os professores e alunos têm agora um meio para fazer pesquisas e aprofundar os conhecimentos.
Juliana António, professora do ensino primário e aluna do segundo ciclo do ensino secundário no município de Chicomba, considerou a biblioteca um meio para diversificar e aumentar os conhecimentos.
O responsável da repartição municipal da Educação em Chicomba, João Cambanja, lembrou que, no ano passado, a população, em parceria com as autoridades locais, construiu 30 escolas, cada uma com quarto salas.
As infra-estruturas foram erguidas com adobe, argila, pedras, troncos e chapas de zinco ou capim.
O responsável adiantou que, com estas salas e o reforço de novos agentes de ensino, é possível inserir no sistema de ensino dois mil alunos a nível das comunas.

Tempo

Multimédia