Províncias

Pré-escolar com melhores condições

Domigos Mucuta|

Um grupo de 50 educadoras e vigilantes de infância dos centros infantis públicos e privados frequentam desde segunda-feira uma acção de formação com 45 dias sobre novas técnicas e cuidados das crianças inseridas no ensino pré-escolar nas creches e lares do Lubango.

Os centros infantis na Huíla como em todo o país têm um papel importante no ensino das primeiras letras e na socialização das crianças
Fotografia: Domingos Mucuta| Lubango

A formação privilegia metodologias de trabalho voltado para o atendimento à primeira infância, capacitando as educadoras e vigilantes para melhorarem aspectos relacionados com o cuidados a ter na educação das crianças até aos cinco anos.
A directora provincial da Assistência e Reinserção Social, Maria Casimiro, salientou que a missão das educadoras é assegurar o processo  educativo das crianças, através do respeito pelos valores linguísticos, culturas, artísticos e históricos e garantindo a sua liberdade de criação.
Frisou que o curso vai ajudar os formandos a desenvolverem conhecimentos e técnicas sobre as disciplinas de psicopedagogia da primeira infância, metodologias de história, música, dança, de expressões plásticas e noções de saúde.
“Acreditamos que a formação vai dar ferramentas necessárias para que cada vigilante e educadora de infância melhore o seu desempenho e seja mais actuante de um dos principais objectivos constantes dos 11 compromissos para com a criança assumidos pelo Executivo e seus parceiros sociais, a educação na primeira infância dos zero aos cinco anos”, disse Maria Casimiro.
A Direcção de Assistência e Reinserção Social controla mais de 5.000 crianças dos zero aos cinco anos, que beneficiam da educação na primeira infância em 28 centros  assegurada por mais de 100 vigilantes e educadoras de infância.
O ensino pré-escolar na Huíla abrange também mais de 50 crianças Khoisan dos municípios de Quipungo, Matala, Gambos e Cacula, no âmbito da política de inclusão social desta comunidade, tradicionalmente nómada.

Tempo

Multimédia