Províncias

Processo de educação das crianças carece de engajamento da sociedade

Arão Martins | Lubango

A Organização Não-Governamental Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) defendeu ontem, no Lubango, a participação activa dos membros das comunidades no processo de ensino e na gestão das instituições escolares da província da Huíla.

A Organização Não-Governamental Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA) defendeu ontem, no Lubango, a participação activa dos membros das comunidades no processo de ensino e na gestão das instituições escolares da província da Huíla.
A directora da ADRA na Huíla, Mariana Soma, que falava na abertura do seminário subordinado ao tema “Orçamento Geral de Estado (OGE) na perspectiva da Educação”, frisou que é necessário que as escolas criem condições para permitir a participação dos pais e encarregados de educação.
Mariana Soma argumentou que a participação comunitária favorece a formulação e fixação dos objectivos pedagógicos, integração de elementos locais nos conteúdos de ensino e aprendizagem, realização de actividades extra-escolares e manutenção das infra-estruturas.
“É preciso atender às exigências do processo educativo, conforme as diferentes realidades. Isso implica, além de maiores investimentos, mais envolvimento da sociedade com os professores, que são facilitadores da aprendizagem e desenvolvimento integral das crianças, enquanto os pais são elementos activos para a qualidade da Educação”, disse.
Defendeu também o reforço das políticas de distribuição gratuita de material didáctico, apetrechamento das escolas, sustentabilidade das cantinas, extensão dos programas de merenda escolar, como aspectos que estão a contribuir para o desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem no interior.
O seminário, promovido pela ADRA em parceria com a rede EPT, analisou o OGE e a perspectiva de recursos financeiros para o sector da Educação na Huíla, tendo em conta a meta do Governo de, até 2015, ter todas as crianças em idade escolar dentro do sistema de ensino.
O encontro, que juntou dezenas de professores e encarregados de educação dos municípios da Humpata, Matala, Quipungo e Lubango, abordou ainda temas como “a familiarização dos conceitos básicos ligados à política orçamental” e “gestão financeira do Estado” entre outros.

Tempo

Multimédia