Províncias

Produção da batata rena aumenta no próximo ano

Arão Martins | Lubango

A colheita da batata rena no perímetro irrigado da Matala, Huíla, pode registar no próximo ano um aumento significativo, passando de 12 mil toneladas para 15 mil com a execução do processo de melhoria dos solos já em curso, disse o administrador municipal.

Milhares de toneladas de batata foram já colhidas pelos produtores que prometem aumentar a produção até ao final da época
Fotografia: Arimateia Baptista | Matala

Miguel Paiva Vicente disse ao Jornal de Angola que o perímetro dispõe de um canal com mais de 42 quilómetros de uma zona irrigada “de sete mil hectares alargáveis”. A produção anual de batata rena oscila entre dez a 11 mil toneladas. Os camponeses produzem também em grande escala cebola, tomate, alho e feijão.
A execução do processo de melhoria dos solos, acção conjuntaentyre a Sociedade Gestora de Desenvolvimento da SODEMAT, a Administração Municipal e Ministério da Agricultura, deu nova dinâmica a produção agrícola.
A Administração Municipal da Matala tem o registo de sete cooperativas de agricultores que produzem de forma efectiva áreas aráveis ao longo do canal, mas há outros camponeses nas zonas adjacentes que cultivam também quantidades elevadas.
O administrador da Matala, Miguel Paiva Vicente, afirmou que a produção no perímetro irrigado é feita de forma ininterrupta durante o ano por haver equipamentos modernos de rega e as cooperativas estarem suficientemente apetrechadas.  No quadro do programa do Executivo de potenciar os agricultores e camponeses, cada brigada passou a dispõe de quatro tractores com as respectivas alfaias, o que tem permitido o aumento e diversificação da produção agrícola no município.
A Administração Municipal e a Sociedade de Desenvolvimento local (SODMAT), em conformidade com o programa de Combate à Pobreza, estão empenhadas na preparação da campanha agrícola 2015.
O administrador municipal da Matala, que lamentou que haja áreas cedidas ainda por explorar, disse que canal tem vários lotes entregues a pessoas que não os trabalham. “Quando reabilitamos o canal houve necessidade de desalojar camponeses para os  produtores com maior capacidade poderem produzir na área, mas infelizmente apenas 50 por centos do espaço está a ser aproveitado”, declarou.
A Administração Municipal está a trabalhar no sentido de encorajar os detentores daquelas parcelas a produzirem, como forma de responder aos objectivos.

Programa do Executivo

O Programa de Aquisição dos Produtos do Campos (Papagro), concebido pelo Executivo, foi elogiado pelo administrador municipal, que afirmou que “o ganho serve de motivação a agricultores e camponeses para aumentarem os níveis de produção”. “O programa constitui uma mais-valia por permitir que a produção seja absorvida de forma efectiva”, disse.
Até Novembro deste ano, prosseguiu, mais de seis mil toneladas de batata foram já colhidas pelos produtores. A meta é chegar às 11 mil até ao fim desta época.
Miguel Paiva Vicente confirmou que os camponeses e agricultores do município têm levado levar grandes quantidades de produtos do campo para o posto do Papagro instalado no Quilómetro 40, comuna do Hoque.
“Já fomos contactados pelas autoridades competentes para a instalação do programa no município e já há espaço para isso”, disse e salientou que”o Papagro “é um contributo valioso para a conservação dos produtos do campo.
O sistema de conservação de frio instalado na comuna de Capelongo permite a conservação de toda batata produzida na Matala.

Tempo

Multimédia