Províncias

Produção de hortícolas é incentivada na região

Domingos Mucuta | Kuvango

Camponeses do Cuvango, Huíla, são incentivados a cultivar hortícolas, no quadro do projecto Alto Utombe, para contornar a escassez daqueles alimentos na região e evitar a dependência do Bié e Huambo, disse o administrador municipal.

Abertos silos para descasque de cereais
Fotografia: Domingos Mucuta

Miguel Luís afirmou que o projecto agrícola, iniciado em Maio à luz do programa municipal integrado de desenvolvimento rural e de combate  à pobreza, a­brange 62 famílias de camponeses dos bairros Gombe Zeca e Gombe Linguvu, que trabalham uma área de 60 hectares.
A iniciativa, além de incentivar os camponeses a produzir e diversificar hortícolas, destina-se a estimular o empreendedorismo agrícola e o aproveitamento das terras aráveis do rio Alto Utombe.
O campo agrícola, com condições propícias para a prática da agricultura, tem 110 hectares, 60 dos quais preparados para cultivo de 15 variedades de hortícolas, como couve, repolho, tomate, cenoura, cebola e alho.
Cada família inserida no projecto recebeu uma parcela de terra, onde cultiva também batata rena, todo tipo de feijão, jinguba, ervilha, beringela, quiabo, pepino, abóbora, soja e gengibre. />O projecto, que integra as famílias que vivem nas zonas ribeirinhas, está a produzir os resultados desejados, tendo em conta as toneladas de produtos diversos colhidas. Os beneficiários do referido projecto recebem apoios da Estação de Desenvolvimento Agrícola, em alfaias agrícolas, sementes e fertilizantes.
O administrador Miguel Luís sublinhou que o incentivo à agricultura proporcionado aos camponeses já tem impacto na vida do município, porque reduziu a compra de hortícolas nos municípios circunvizinhos.
Cuvango tem, desde o dia de 11 de Novembro, dois silos para o descasque de duas toneladas de cereais por hora.
O sistema de silos foi montado em dois mil metros quadrados. O funcionamento das duas naves está garantido por oito técnicos formados recentemente.
A presente campanha agrícola no Cuvango é este ano desenvolvida em mais de 400 hectares.

Tempo

Multimédia