Províncias

Professores em aulas de expressão plástica

Domingos Mucuta | Lubango

As técnicas e metodologias de ensino da disciplina de expressão plástica estão a ser abordadas num curso intensivo para 45 professores do ensino secundário de todo o país, que leccionam a matéria.

Os professores que frequentam o curso têm a responsabilidade de obter competências
Fotografia: Domingos Mucuta|Lubango

As técnicas e metodologias de ensino da disciplina de expressão plástica estão a ser abordadas num curso intensivo para 45 professores do ensino secundário de todo o país, que leccionam a matéria.
O curso, que está a ser promovido pelo Centro de Formação de Quadros do Ministério da Educação, em parceria com o Bureau de Engenharia de Educação e Formação da Bélgica, tem a duração de um mês.Esta é a segunda formação, ministrada pela professora de educação visual do Instituto Pedagógico de Cabo Verde, Ivete Medina, que, em 200 horas, vai transmitir conhecimentos práticas e teóricos sobre os novos métodos de ensino aos professores angolanos.
O director do Centro Nacional de Quadros, Viriato Neto, disse que o Ministério da Educação está apostado na superação dos professores sem agregação pedagógica para que melhorar a qualidade de ensino.Viriato Neto disse que a formação de professores é, no actual sistema, o facto decisivo para a consolidação da Reforma Educativa, na medida em que incentiva a participação dos agentes de ensino na inovação e na melhoria constante do sistema de educação.
 “Os investimentos na formação, estão a ser avaliados para medir o impacto das apostas do Ministério na produção de resultados”, disse Viriato Neto.
O director do Centro Nacional de Quadros lamentou o facto de muitas acções de formação promovidas pelo Ministério da Educação ainda não produzirem os resultados satisfatórios nas aulas.
Acrescentou que os professores que frequentam o curso têm a grande responsabilidade de obter competências para no final reproduzirem os conhecimentos adquiridos a fim de que as crianças aprendam também, com eles, a arte, visto que o país não tem escolas de formação de formadores.
Viriato Neto lembrou que o plano mestre do sector da Educação, até 2015, inscreve acções tendentes à uniformização das metodologias de ensino em áreas com carências de professores.
O director do Centro Nacional de Formação de Quadros informou que o sector da Educação conta, actualmente, com 200 mil professores, 30 por cento dos quais sem agregação pedagógica.

Tempo

Multimédia