Províncias

Programa "Água para Todos" chega às zonas mais isoladas

Estanislau Costa|Lubango

A água potável está a jorrar, pela primeira vez, nas torneiras de mais 15 fontanários construídos em diversas zonas rurais da província da Huíla.

Para além dos novos sistemas de captação, tratamento e distribuição de água, foram construídos chafarizes, lavandarias e balneários públicos
Fotografia: Estanislau Costa

A água potável está a jorrar, pela primeira vez, nas torneiras de mais 15 fontanários construídos em diversas zonas rurais da província da Huíla, com a materialização do programa “Água para Todos”. Kapunda Kavilongo, Camana, Bata-Bata, Missão Católica do Tchivinguiro, Manquipa e Kahole são algumas localidades que beneficiaram do programa “Água para Todos”, associado ao projecto “Huíla sem defecação ao ar livre”
 Os programas de âmbito central e provincial foram desenvolvidos durante o ano de 2009 e mereceram o reconhecimento dos populares, tendo manifestado a importância da água potável e dos sanitários públicos na preservação da saúde.
 Maria Kaholi e Francisco Tchilonga estão entre as muitas pessoas que se congratularam com o programa “Água para Todos”, que está a atingir as localidades mais recônditas do país.
O número de beneficiários das zonas urbanas e rurais ascende a 50 mil habitantes em toda a extensão da província da Huíla. Nalgumas zonas, o governo da província associou ao programa a construção de escolas do I ciclo e balneários públicos, no quadro do programa “Huíla sem Defecação ao Ar Livre”, gizado pelo governo da província para eliminar os focos de dejectos nos bairros e prevenir doenças.
Os municípios do Lubango, Chibia, Caconda, Matala, Cuvango, Quipungo e Caluquembe foram já contemplados.
Relativamente ao programa “Á­gua para Todos”, orçado em 307,5 milhões de Kwanzas, foram construídos 59 sistemas convencionais de captação, transporte, armazenamento e distribuição de água e furos de água com bombas manuais, lavandarias e vedação dos espaços.
A maior parte dos furos de água foi feita nos municípios do Lubango, com 26, Quipungo e Gambos, com 12. As três localidades possuem mais população e escassez de água.
O director de Energia e Águas da Huíla, Abel Costa, informou que o programa está executado a 95 por cento e, para concluir falta apenas a construção de quatro sistemas na Bata-Bata e Kangolo.
A qualidade de execução do programa “Água para Todos” com alguns fontanários a possuírem dois sistemas alternativos de energia eléctrica, levou o Secretário de Estado das Águas, Luís Filipe, a considerar positivas as acções da Huíla.
Luís Filipe disse, quando visitou a província, que “estão criadas as condições para que as mamãs, os papás e as crianças, sobretudo do meio rural, melhorem a qualidade de vida”.

Tempo

Multimédia