Províncias

Programa de água potável chega a Vicungo

Arão Martins| Vicungo

 Mais de 4.000 habitantes da sede comunal de Vicungo, município do Cuvango, têm desde Janeiro  água potável, no quadro do Programa Agua para Todos.

Inauguração de novo sistema de abastecimento e distribuição de água vai ajudar a minimizar casos de doenças na comuna
Fotografia: Arão Martins

 Mais de 4.000 habitantes da sede comunal de Vicungo, município do Cuvango, têm desde Janeiro  água potável, no quadro do Programa Agua para Todos.
O administrador comunal de Vicungo, Benjamim Cambinda, informou que para o sucesso da distribuição de água potável às populações foi construído um sistema de modelo combinado que funciona com energia solar e electricidade e a sua gestão é competente..
Benjamim Cambinda referiu que a comuna é uma das localidades mais bem servidas de água potável, já que o sistema tem capacidade para bombear cinco metros cúbicos por hora, o que permite responder às necessidades das populações que vivem na sede comunal.
A capacidade de bombear água potável responde às necessidades dos 8.900 habitantes que vivem na localidade. Quando falta combustível, o sistema de energia solar cobre o défice. A par das ligações aos domicílios da sede comunal, foram abertos 20 fontanários para que a cobertura seja aceitável.
Na comuna de Vicungo estão em curso obras de construção de infra-estruturas sociais, inseridas no quadro do Programa Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.
O administrador comunal de Vicungo referiu que estão em curso as obras de construção da escola do ensino primário com seis salas, na sede comunal de Vicungo, 85 quilómetros a norte da sede municipal do Cuvango. As obras estão na fase final.
O administrador comunal de Vicungo informou que a escola vai ser entregue em Março para receber os alunos que estão em salas provisórias e as novas crianças que este ano começaram aestudar.
Na sede comunal de Vicungo está igualmente em curso as obras de construção de uma casa com seis quartos, para alojar os professores. A assistência médica na comuna também vai registar melhorias, em finais do primeiro semestre deste ano, quando terminarem as obras de construção do posto de saúde. O administrador comunal de Vicungo informou que a unidade sanitária permite atender em melhores condições os 8.900 habitantes da comuna.
A unidade de saúde fica com capacidade para internar dez doentes. Vai dispor de uma sala de consultas gerais, banco de urgência, parto e pós parto, serviços de cuidados infantis e Programa Alargado de Vacinação (PAV).

Construções modernas

A construção de imóveis modernos está a mudar a imagem da comuna. Estão a ser construídas a nova administração comunal, o palácio, casas para o administrador e o seu adjunto, um posto policial e casas para técnicos. Vicungo funciona com dois níveis de ensino, o primário e secundário do primeiro ciclo, onde foram matriculados 4.113 alunos de ambos os sexos, num total de 15 escolas. As aulas são asseguradas por 61 professores.
Benjamim Cambinda disse que muitas crianças ainda estudam em salas improvisadas. Estas dificuldades vão ser colmatadas, uma vez que estão em construção mais duas escolas do ensino primário, das quais uma no sector de Cambole.
A rede sanitária da comuna de Vicungo conta com quatro postos de saúde, localizados na sede comunal, embala de Chumbangombe, Kambole e Ndumba Yangonga.
O Cambole já tem uma unidade sanitária concluída que atende igualmente a população de aldeias próximas. Os responsáveis do centro reclamam uma ambulância para transferência de doentes dos postos para o centro municipal de saúde do  Cuvango.

Energia e agricultura

A energia eléctrica é estável na comuna de Vicungo, disse o administrador. T tem dois geradores, um de 40 KVA, adquirido com os fundos do Programa de Investimentos Públicos, e outro de 12 KVA, doado por um empresário local.
A população de Vicungo, que tem como principal actividade o cultivo da batata, mandioca, milho e massango, tem beneficiado de incentivos para aumentar e diversificar a produção dos produtos do campo, disse o administrador.
Benjamim Cambinda referiu que, apesar dos apoios, os camponeses associados pedem ainda a contemplação do programa de crédito de campanha para aquisição de gado de tracção animal e charruas.
A criação de associações de pesca artesanal, nos rios Cutato e Cuvango, é outra aposta da população, que precisa de embarcações, redes de pesca e anzóis.

Comércio também cresce

O comércio, embora de forma tímida, já regista alguns avanços a nível da comuna de Vicungo, salientou o administrador comunal, Benjamim Cambinda.
Para que o processo ganhe mais expressão, está em curso o projecto de reabilitação de lojas para atender melhor a população.
As autoridades tradicionais reconhecem o empenho do Governo Provincial na melhoria das condições da população com a materialização do Programa de Combate à Pobreza, cuja realização já é visível na comuna, no que diz respeito à construção de escolas, postos de saúde, energia e água.

Professores satisfeitos

O soba António da Costa disse que a comuna de Vicungo está a crescer porque o governo está a apoiar as populações.
Comparativamente aos anos anteriores, a comuna de Vicungo regista melhorias, pois as novas infra-estruturas sociais garantem a todos uma vida melhor.
 A professora Zarita Daniel, colocada há dois anos na sede comunal de Vicungo, disse que as mudanças são significativas comparativamente ao ano em que foi colocada.
 Zarita Daniel informou que antes os professores trabalhavam em péssimas condições, porque as aulas eram dadas numa escola que nem carteiras tinha e os professores eram obrigados a ficar de pé porque não tinham uma mesa.
A professora reconheceu que agora, com a nova escola, a actividade laboral vai ser exercida em perfeitas condições.

Tempo

Multimédia