Províncias

Programa de pulverização domiciliar protege milhares de famílias na região

Arão Martins | Lubango

Um programa de pulverização intra-domiciliar da “ABT-USAID”, no âmbito do combate à malária, abrangeu 136 mil casas e um universo de 650 mil habitantes da região sul do país, durante o ano passado.

O projecto conta com material e pessoal especializado com vista a garantir o combate ao paludismo nas comunidade mais afectadas
Fotografia: Arão Martins|Lubango

Um programa de pulverização intra-domiciliar da “ABT-USAID”, no âmbito do combate à malária, abrangeu 136 mil casas e um universo de 650 mil habitantes da região sul do país, durante o ano passado.
Judith Bulanzi, a gestora das operações da ABT, disse que o projecto de combate ao paludismo foi levado a cabo em parceria com o Ministério da Saúde, nas províncias do Cunene, Huambo e Huíla.
A responsável, que falava no encontro provincial de avaliação da campanha de pulverização-2012, informou que, das 136 mil moradias pulverizadas, 64 mil são casas dos municípios do Lubango e Chibia, com a abrangência de 320.746 habitantes protegidos.
Esclareceu que o objectivo primário da Pulverização Residual Intra-domiciliar (PRI), nas províncias do Huambo, Huíla e Cunene, é de contribuir para prevenir e reduzir a transmissão e mortalidade por malária.
Avançou que constitui ainda objectivo da PRI limitar a exposição das pessoas à malária, reduzindo a incidência e prevalência da doença, alcançar pelo menos 85 por cento de cobertura de pulverização nos municípios alvo. Afirmou que o Ministério da Saúde atribui valor ao apoio técnico e financeiro prestado pelo povo americano, através do Programa Nacional de Controlo da Malária (PNCM).
Reconheceu que a direcção provincial da Saúde da Huíla, em parceria com a ABT Associates, tem estado a conjugar esforços para a implementação do Programa de Pulverização Residual Intra-domiciliar (PRI), para o controlo da malária como parte da estratégia do controlo integrado de vectores, a par de outras intervenções.
Disse que a iniciativa Presidencial Contra a Malária (PMI) do governo dos Estados Unidos da América foi lançada em Junho de 2005. A ABT Associates foi seleccionada, através de concurso público, sob contrato com a Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID), para levar a cabo o projecto da Pulverização Residual Intra-domiciliar em Angola.
Para se atingir os resultados positivos, a ABT trabalha conjuntamente com o Programa Nacional da Malária, direcções provinciais da Saúde, ONG, comunidades e líderes na implementação do programa.

Mais campanhas

Anunciou que o projecto nas três provinciais começou em 2010. Para este e o próximo ano estão planificadas a realização de duas campanhas de pulverização.
Disse que, para os próximos dias, a acção vai ser implementada com a distribuição universal de mosqueiteiros impregnados às familias abrangidas pelo processo de pulverização.
Judith Bulanzi afirmou que nas campanhas passadas houve muita exigência de qualidade. “Conseguimos estabelecer um pacote de monitoria e avaliação, que vai servir não só o projecto, mas todo o programa incorporado no programa da malária a nível do país”, acrescentou a responsável.
A gestora da ABT anunciou que o programa de pulverização intra-domiciliar nas províncias da Huíla, Huambo e Cunene vai continuar, na medida em que das 136 mil estruturas atingidas, o mapeamento geográfico contemplou 300 mil moradias a atingir.
A pulverização residual intra-domiciliar é uma das estratégias para a redução da malária.

Situação na Huíla

Segundo o representante da ABT na Huíla, António Domingos, a pulverização intra-domiciliar naquela província está na sua oitava jornada, tendo abrangido cerca de 500 mil residências.
Para a campanha 2012, em que foram pulverizadas 64.606 casas dos municípios do Lubango e Chibia, trabalharam 420 pessoas, entre supervisores, líderes, motoristas, lavadeiras e outras.
Nesta altura, a associação pretende fortalecer cada vez mais os laços institucionais, a melhoria do sistema de sinalização das casas, recrutamento e selecção dos mobilizadores e operadores.
Manter e demonstrar a qualidade técnica, cumprir com os requisitos ambientais, comunicar objectivos e resultados de forma proativa, controlar os custos e optimizar o custo-eficácia, capacitar e transferir a responsabilidade operacional, bem como alcançar o impacto deverão igualmente merecer a atenção das autoridades, a fim de se atingir os resultados preconizados.

Tempo

Multimédia