Províncias

Programa muda vida de centenas de jovens

André Amaro | Lubango

O auto-emprego, que está a mudar as condições de vida, é só um dos grandes benefícios que o programa “Angola Jovem” está a proporcionar a centenas de jovens que aderiram ao projecto na província da Huíla.

Pelo menos 900 jovens, organizados em 288 cooperativas, beneficiaram gratuitamente, nos últimos meses, de kits profissionais
Fotografia: Jornal de Angola

O auto-emprego, que está a mudar as condições de vida, é só um dos grandes benefícios que o programa “Angola Jovem” está a proporcionar a centenas de jovens que aderiram ao projecto na província da Huíla.
Pelo menos 900 jovens, organizados em 288 cooperativas, beneficiaram gratuitamente, nos últimos meses, de kits profissionais de recauchutagem, mecânica, engraxar sapatos, autoconstrução dirigida, lavagem de carro, confecção de pipocas e gelado.
Além destes, existem outros contemplados pelo “Crédito Jovem”,  que receberam até 20 mil dólares para desenvolver actividades nas áreas do comércio, agro-pecuária, indústria e construção civil.
Desde que iniciou o programa, em 2007, beneficiários dos 14 municípios da província ganharam uma profissão, criaram a sua pequena empresa, melhoraram os rendimentos, fruto da actividade que desenvolvem a partir da adesão ao programa.
Esta constatação foi feita pela direcção provincial da Juventude e Desportos da Huíla, executora do projecto, instituição que considera de positivo o programa, uma vez que os objectivos pelos quais foi concebido estão a ser alcançados.
O responsável da secção para Juventude na Huíla, António Fernandes, disse anteontem que este programa está a cumprir com o seu objecto social, que consiste em ocupar os tempos livres dos jovens, incentivar o auto-emprego, combater a delinquência e o consumo de drogas.
“Durante as visitas efectuadas a algumas cooperativas de jovens beneficiários, constatamos progresso, porque estão a conseguir tirar rendimentos da sua actividade, sustentar as suas famílias e aumentar o negócio”, sublinhou.
António Fernandes referiu que com os rendimentos saídos da actividade, alguns conseguiram tratar documentos e matricular-se para dar continuidade aos estudos, com vista a assegurar a formação académica. O responsável esclareceu que um número considerado das cooperativas que beneficiaram do “Crédito Jovem”, concedido pelo Banco de Poupança e Credito (BPC), já fizeram o reembolso dos valores e pretendem habilitar-se a mais a outro empréstimo.

Tempo

Multimédia