Províncias

Proposta transformação do ISCED em universidade

Estanislau Costa |Capitão Aremes| Lubango

A transformação do Instituto Superior de Ciências da Educação da Huíla em Universidade Pedagógica foi uma inovação defendida há dias por antigos dirigentes, docentes e discentes da instituição, durante o colóquio “Memórias do ISCED-Huíla”.

Participantes ao colóquio defenderam um novo estatuto para o ISCED com vista a aumentar a qualidade na formação de professores
Fotografia: Edições Novembro

Os académicos veteranos, provenientes de vários pontos do país e do mundo, entre eles alguns que ocuparam cargos relevantes na instituição nas últimas três décadas, esclareceram que a ideia de mudança do instituto em Universidade Pedagógica é antiga, tendo em conta as valências do estudo pedagógico no processo de ensino e aprendizagem.
 “O Instituto Superior de Ciências da Educação tem como foco assegurar a formação inicial e contínua de professores, assim como de gestores escolares”, referiu Vatomene Kukanda, para acrescentar que as debilidades do ensino primário devem ser temas de debate no ISCED-Huíla, por ser a instituição que forma docentes.
Vatomene Kukanda sublinhou que é necessária a parceria com os Ministérios do Ensino Superior e da Educação, assim como do governo provincial da Huíla, para a elaboração e apresentação de projectos concretos no sentido de erradicar as debilidades existentes no ensino. O  director do ISCED-Huíla, José Luís, disse que a proposta de transformação da instituição, com 36 anos de existência, passa por mais trabalho, ampliação das actuais infra-estruturas e realização de outros investimentos para se atingir o objectivo.José Luís reconheceu que se deve aumentar também o corpo docente e, posteriormente, com as devidas condições criadas, já será possível apresentar uma proposta às entidades competentes. “Hoje, temos 23 professores doutorados nacionais, quando antes o número maior era de estrangeiros”, apontou, para acrescentar: “Outros docentes estão a fazer o doutoramento em várias universidades do mundo e, daqui a mais cinco anos, a instituição é reforçada com mais 40 professores doutores, cifra suficiente para se criar as bases, elaborar o projecto, propor e discuti-lo para encontrar-se consensos junto do ministério”. O vice-governadora para o Sector Político e Social, Maria João Chipalavela, lembrou que no passado, enquanto estudante do ISCED, o lema formar o homem para o futuro, dito pelos professores da época para incentivar todos a estudar, marcou-o, por mostrar a visão da escola na formação da nova geração.

Encontro de gerações

 "Memórias do ISCED-Huíla" é um evento criado por um grupo de docentes e discentes com o propósito de mostrar aos estudantes e não só como a instituição se ergue, sua evolução, esforços para aumentar a qualidade e atingir a curto prazo a excelência na formação de docentes.
A professora Solange Luís referiu que as novas gerações têm a oportunidade de conhecer o passado, o presente e visionar o futuro da casa do saber, assim como ter contacto com os antigos docentes e estudantes.
"A criação do certame permitiu saber mais sobre a história do ISCED, através de entrevistas aos professores veteranos e outros técnicos, rebuscar e apresentar o antigo equipamento utilizado para compor documentos, fascículos, fazer pesquisas, captar imagens, sistemas de comunicações e outros", referiu Solange Luís, que acrescentou: “Juntámos a antiga nata de professores, trabalhadores administrativos, estudantes e colaboradores que deram o seu contributo desde a sua fundação em 1980 até ao momento.”

Tempo

Multimédia