Províncias

Província tem novo projecto para agregação pedagógica

André Amaro | Lubango

Os professores do primeiro ciclo dos municípios da província da Huíla, sem agregação pedagógica, começam a partir do mês de Maio a ser formados, com vista a aperfeiçoarem os métodos de ensino e melhorarem a qualidade de ensino e aprendizagem.

A acção formativa de novos professores vai decorrer na escola Comandante Liberdade
Fotografia: André Amaro|Lubango

A iniciativa é da Escola de Formação de Professores do Lubango Comandante Liberdade, que, numa primeira fase, prevê contemplar 500 professores dos municípios de Quipungo, Humpata, Gambos e Quilengues.
O responsável pedagógico da Escola de Formação de Professores do Lubango, Francisco Tchicolomuenho, anunciou o facto durante uma cerimónia de baptismo de 272 novos alunos, que ingressaram na instituição, no presente ano lectivo.
Francisco Tchicolomuenho frisou  que anualmente o Executivo realiza concursos públicos para o sector da Educação, com vista ao ingresso de novos professores, mas boa parte deles não têm agregação pedagógica.A escola elaborou um projecto no sentido de dotar todos os professores de agregação pedagógica e melhorar a qualidade de ensino e aprendizagem. Foram constituídas equipas que vão ao encontro dos professores nas comunas, aldeias e vilas, em acções que têm a parceria da Direcção Provincial da Educação e das administrações municipais.
Esta é uma forma que a Escola de Formação de Professores do Lubango Comandante Liberdade encontrou para resolver os problemas das comunidades e contribuir para a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem.
A escola forma professores nas especialidades de História/Geografia, Língua Portuguesa/Educação Moral e Cívica, Matemática/Física, Bioquímica, Língua Inglesa e Francesa.No presente ano lectivo, a Escola de Formação de Professores Comandante Liberdade matriculou 1.308 alunos.

Tempo

Multimédia