Províncias

Reabilitação das estradas da região facilita escoamento dos produtos

André Amaro | Lubango

O escoamento das Frutas produzidas na Huíla, sobretudo maçã, pêra, pêssego e laranja, vai deixar de constituir problema para os agricultores, com início da reabilitação das vias secundárias e terciárias da região.  

O escoamento das Frutas produzidas na Huíla, sobretudo maçã, pêra, pêssego e laranja, vai deixar de constituir problema para os agricultores, com início da reabilitação das vias secundárias e terciárias da região.  
As obras nas vias que ligam os centros de produção agrícola à Humpata, num percurso de 50 quilómetros, estão a ser realizadas pela Administração Municipal, no quadro do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza.
O administrador municipal adjunto da Humpata, Nandy Capenda, reconheceu, em declarações ao Jornal de Angola, que o mau estado das vias tem contribuído para a deterioração da frutas e outros produtos agrícolas por falta de escoamento, causando enormes prejuízos aos produtores.
Face aos apelos dos produtores de fruta, as autoridades da Humpata responderam com a reabilitação de 12 quilómetros da via que liga a sede municipal à aldeia das Neves. “Actualmente estão em obras mais 50 quilómetros da via entre a sede municipal e a a aldeia de Batabata e outros dez quilómetros para o Alto Bimbe”, informou Nandy Capenda.
As obras consistem na terraplanagem e construção de passagens hidráulicas para facilitar o escoamento das águas pluviais, causadoras da destruição das vias. As províncias de Luanda, Benguela e Namibe são os principais mercados da maçã, pêra, laranja, morango, pêssego, ameixa e outras frutas produzidas no município da Humpata, a 22 quilómetros da cidade do Lubango. Além da produção de frutas, o município da Humpata destaca-se na produção de hortícolas, como batata, cenoura, repolho, alho, cebola, couve, que são consumidos um pouco por todo país.
O chefe da repartição municipal da Agricultura , Amadeu Jamba, informouu que os camponeses prepararam 150 hectares de terras para a produção de hortícolas para a segunda fase da campanha agrícola que vai até   ao mês de  Abril.
Amadeu Jamba explicou que os camponeses estão a receber assistência técnica e admitiu que caso chova, os agricultores vão colher centenas de toneladas de produtos para a sua alimentação e escoar para outras localidades do país. Amadeu Jamba disse que o município da Humpata também foi afectado pela estiagem entre os meses de Dezembro e Fevereiro últimos, mas os camponeses estão mobilizados e aproveitam as chuvas que caem.

Tempo

Multimédia