Províncias

Reabilitação decorre a bom ritmo

Arão Martins | Lubango

O presidente do Conselho de Administração (PCA) dos Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes, Daniel Kipaxe, informou no Lubango que as obras de reabilitação do ramal que liga a província do Namibe ao Kuando-Kubango estão executadas 70 por cento.

Mais de 70 por cento das obras de reabilitação do ramal que liga a província do Namibe ao Kuando-Kubango está executado
Fotografia: Arão Martins | Lubango

O presidente do Conselho de Administração (PCA) dos Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes, Daniel Kipaxe, informou no Lubango que as obras de reabilitação do ramal que liga a província do Namibe ao Kuando-Kubango estão executadas 70 por cento.
O responsável do CFM assegurou que os trabalhos decorrem de acordo com a programação. A plataforma da via até à estação principal da cidade do Lubango está concluída. A montagem dos carris, das travessas e a própria balastragem fica terminada este mês.
Daniel Kipaxe, que falava à imprensa, após a visita efectuada pelo governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, às estações centrais do Lubango e das comunas da Arimba, Quilemba e Mapunda, afirmou que a conclusão das obras, até finais de Agosto, vai garantir a circulação do comboio.
O PCA informou que a circulação oficial do comboio está marcada para Dezembro próximo.
A reabilitação, ampliação e construção das estações especiais do Lubango, Matala, Cuvango, Jamba e Menongue vão permitir a circulação do primeiro comboio em finais do ano em curso.
Daniel Kipaxe informou que o troço que liga o município do Quipungo à localidade da Mukanka, perfazendo um total de 680 quilómetros, já foi reparado. No troço Lubango-Namibe está em curso a reabilitação da ponte sobre o rio Giraúl, que termina em Novembro.
A reabilitação e modernização dos Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes está dividida em duas fases, que compreendem a construção de todas as infra-estruturas, recrutamento de jovens para aprender a manusear os equipamentos, montagem da linha e reconstrução de travessas, entre outros.  O processo está avaliado em um bilhão e 200 mil dólares norte-americanos, incluindo a aquisição de locomotivas, carruagens, vagões cisternas para água e combustível, e emprega centenas de jovens angolanos, que depois vão ser colocados em diversas áreas do CFM.
O governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, reconheceu que os trabalhos de reabilitação da via férrea decorrem a um ritmo acelerado. “Estamos satisfeitos, temos muitos jovens a trabalhar e há garantia de um futuro melhor depois da conclusão dos trabalhos, com a promoção e formação em áreas específicas”, disse o governador.

Tempo

Multimédia