Províncias

Redução da mortalidade infantil é prioridade

Domingos Mucuta | Lubango

O chefe da secção municipal da Saúde do Lubango, Godfrey Chiumbo, revelou que decorrem acções que visam a redução, em 50 por cento, dos casos de mortalidade materno-infantil na região.

Autoridades sanitárias do Lubango melhoram serviços prestados à população
Fotografia: Jornal de Angola

O chefe da secção municipal da Saúde do Lubango, Godfrey Chiumbo, revelou que decorrem acções que visam a redução, em 50 por cento, dos casos de mortalidade materno-infantil na região.
As autoridades sanitárias do Lubango definiram, como prioridade, para o segundo semestre deste ano, o combate à mortalidade infantil nos hospitais e centros médicos da periferia durante a execução do Plano de Municipalização dos Serviços de Saúde.
O plano, avaliado em dois milhões de dólares, disponibilizados pelo Ministério da Saúde, visa potenciar o sistema de saúde no Lubango para melhorar os serviços prestados à população. O programa de combate à mortalidade infantil já está em execução no Lubango, desde Fevereiro.
O chefe da secção municipal da Saúde no  Lubango anunciou que outra meta é a redução de casos de tuberculoses para oitenta ( 80) casos por cada 100 mil habitantes e a elevação dos principais indicadores de saúde pública, dentro da aceleração da redução da mortalidade materno-infantil, que são os pilares da apreciação dos cuidados primários de saúde: “queremos fazer com que as crianças, até aos cinco anos, cumpram o calendário de vacinação”, referiu.
A repartição municipal da Saúde na  província dá formação técnica aos funcionários e técnicos dos hospitais sobre a importância de distribuição atempada de medicamentos e o diagnóstico correcto de doenças endémicas, como a cólera, tuberculose e lepra.
Godfrey Chiumbo garantiu que, no âmbito do Plano Municipal de Saúde, decorrem igualmente campanhas de sensibilização da comunidade para a mudança de comportamentos e adopção de medidas básicas de práticas sanitárias, visando a prevenção de doenças.
“Estamos também a distribuir reagentes para análises clínicas e medicamentos essenciais em todos os hospitais e centros de saúde periféricos, para que a população possa receber assistência de qualidade”, afirmou. Os serviços estão a distribuir vitamina A e ferro às mulheres grávidas e crianças.
O Lubango tem 44 unidades sanitárias, distribuídas pelas aldeias e comunas. A taxa de cobertura dos enfermeiros é de um para sete mil a 10 mil habitantes, salientou Godfrey Chiumbo. Mas o município precisa de mais de mil enfermeiros para garantir uma cobertura total.

Tempo

Multimédia